Dom04302017

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

Clovis Puper Bandeira

Clovis Puper Bandeira

Nascido em 28 Fev 45 em Pelotas - RS

General de Divisão da Reserva do Exército Brasileiro

Ex Vice-Presidente e atual Assessor Especial do Presidente do Clube Militar

Principais funções na carreira militar:

- Instrutor da AMAN e da ECEME

- Aluno do US Army War College - EUA

- Comandante do 10º BI - Juiz de Fora - MG

- 1º Subchefe do Estado-Maior do Exército - Brasília - DF

- Comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva - Porto Velho - RO

- Chefe do Estado-Maior do Comando Militar da Amazonia - Manaus - AM

- Diretor de Especialização e Extensão - Rio - RJ

- Comandante da 3ª Região Militar - Porto Alegre - RS

- Chefe do Departamento de Inteligência Estratégica do Ministério da Defesa - Brasília - DF

Quarta, 28 Janeiro 2015 14:53

A VACA TOSSIU

Prudentemente, Dilma sumiu das manchetes e das entrevistas, num profundo mergulho no silêncio, enquanto as águas se acalmam na superfície e os efeitos da tempestade são assimilados por suas vítimas, ou seja, nós, os de sempre. Enquanto isso, a tosse não para. Parece que a vaca está com coqueluche.

Segunda, 26 Janeiro 2015 15:12

NEM OITO NEM OITENTA

Como quase sempre acontece, o recurso à violência só parece ser bom no curtíssimo prazo, mas pode provocar reações poderosas e até desproporcionais por parte dos atingidos, acabando por enfraquecer a posição de simpatia ou neutralidade que porventura eram dirigidas à causa dos imigrantes islâmicos.

Sexta, 16 Janeiro 2015 11:47

MINISTÉRIO DAS INCAPACIDADES

 

 

 

Certa, mesmo, é a incapacidade e mediocridade da equipe ministerial, num momento difícil da vida nacional, quando seria importantíssimo contar com a colaboração das melhores capacidades de nosso mundo político.

Segunda, 05 Janeiro 2015 15:10

CNV X PETROBRAS

Um dia, no meu país, o roubo da coisa pública não será visto como natural. Não mais se aceitarão desculpas como “roubo, pois todos roubam”. O governo da republica não será mais hereditário, passando de geração em geração dentro das famílias dos donatários, cada vez mais ricas à custa do Tesouro e de nossos impostos.

Terça, 23 Dezembro 2014 11:31

O PETRÓLEO ERA NOSSO

Estamos assombrados com o volume do roubo da res publica, só possível pela certeza da impunidade que protegeu, durante décadas, os rapinantes que, graças à delação premiada, abriram o bico para diminuir suas penas.

Quarta, 03 Dezembro 2014 15:06

COMEÇARAM AS REFORMAS?

Já o Governo, este é um grupo terceirizado, escolhido e contratado por prazo fixo, que deve executar o que a Nação/Estado deseja. O Governo é, portanto, um empregado da Nação, nada mais que isso.

Quinta, 20 Novembro 2014 11:40

IRRESPONSABILIDADE FISCAL II

O Senado já aprovou, só falta a sanção presidencial. A fórmula de calcular as dívidas dos estados e municípios – que deveriam ser pagas à União nos próximos 25 anos – foi alterada. Trata-se de uma conta no valor de R$ 500 bilhões, que será drasticamente cortada pelo governo e pelos políticos com a ligeireza e a irresponsabilidade tradicionais.

Na prática, a simples mudança do indexador da dívida causa um prejuízo de R$ 59 bilhões ao Tesouro – R$ 1 bilhão apenas em 2015. Tudo isso num cenário de penúria, num ano em que as contas do governo apresentarão um déficit de mais de R$ 20 bilhões, antes da maquiagem que virá.

Anteriormente, o Congresso já aprovara o aumento do teto de endividamento dos estados e municípios, de 120% para 200% da sua receita líquida. Ou seja, quem deve e não tem como pagar pode passar a dever mais ainda.

Quanto à nova mudança, a do indexador da dívida, o grande beneficiário é a Prefeitura de São Paulo, o maior e mais rico município brasileiro – casualmente, governado pelo PT.  Sua dívida acumulada, que era de R$ 62 bilhões, passará a valer R$ 36 bilhões num passe de mágica, e o município poderá ainda contrair novas dívidas de até R$ 4 bilhões.

Como o governo tem que equilibrar suas contas, abre mão de recursos a receber e não quer reduzir seus gastos, só resta o caminho do aumento de impostos, diretos ou disfarçados.

Ganha, por outro lado, a simpatia agradecida de governadores e prefeitos, empurrando a conta para ser paga por futuras administrações.

As primeiras vítimas da negociata são os prefeitos e governadores que controlaram dívidas e honraram, a tempo e a hora, seus compromissos. Fizeram papel de bobos. Em seguida aparecemos nós, os de sempre, que arcaremos com mais taxas e impostos e receberemos menos ou piores serviços.

A oposição não sabia disso antes das eleições? Claro que sabia, mas não usou esse trunfo porque também concorda com o saque aos cofres públicos com pagamento a perder de vista, por governos futuros.

A irresponsabilidade fiscal, que é um crime, ganha ares de generosidade e sensibilidade política.

 

Gen Clovis Purper Bandeira – Editor de Opinião do Clube Militar

Terça, 18 Novembro 2014 13:51

IRRESPONSABILIDADE FISCAL

A Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), herança do governo FH, é uma das bases para a estabilidade econômico-financeira de que o Brasil gozou nos últimos anos, reconhecida pela obtenção do almejado grau de investimento concedido pelas principais agências internacionais de classificação de riscos.

Segunda, 10 Novembro 2014 14:36

LEGISLATIVO - UMA ESPERANÇA?

Assim, parece que o Congresso, tão enfraquecido por denúncias de corrupções e impunidades nos tempos recentes, acordou e resolveu lutar para não ser ultrapassado em assuntos de sua exclusiva competência.

Quarta, 29 Outubro 2014 14:19

CORRUPÇÃO, IGNORÂNCIA, MEDO E MENTIRA

A vitória eleitoral apertada alcançada pelo PT e seus aliados demonstra que quase metade dos eleitores brasileiros não se conformam com os desmandos do governo, que só se manteve no poder pelo emprego de quatro instrumentos poderosos, que domina como ninguém.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.