Ter09172019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

André Plácido

André Plácido

André Arruda Plácido nasceu em Pirajuí (SP) e é cidadão português. Reside em Londrina (PR) onde graduou-se em Relações Públicas e Teologia. Em Bauru (SP) concluiu o curso de Jornalismo. Fez especialização em Comunicação e Liderança em Missões Mundiais pelo Haggai Institute em Cingapura. É professor de comunicação, poeta, radialista, cronista e fotógrafo.

Segunda, 23 Janeiro 2006 21:00

2006: O Ano Em Que Faremos Contato

Dez entre dez economistas responsáveis não se cansam de dizer que apesar de 2005 ter sido de prosperidade econômica em todo o planeta, para nós foi ruim.

Depois de Lula avisar aos seus “amigos e amigas” de que o Brasil é uma Suécia tropical, a única alternativa que resta aos brasileiros é a de mostrarmos ao presidente “traído” que já passou do momento de fazer com que ele volte ao lugar de onde nunca deveria ter saído: do meio sindical.

Até dezembro de 2005 os gastos do governo com publicidade superaram em R$ 27 milhões os investimentos em saúde e em R$ 12 milhões na educação, sem contar gastos com publicidade dos Correios, Petrobrás, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Já a média de investimentos de Lula-lá é a pior desde a época dos militares. Não passou dos R$ 11,6 bilhões anuais. Menor que os R$ 12,5 bi do general João Batista Figueiredo e muito abaixo dos R$ 17,5 bi de FHC.

Dez entre dez economistas responsáveis não se cansam de dizer que apesar de 2005 ter sido de prosperidade econômica em todo o planeta, para nós foi ruim. Segundo a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), entre os países da região, temos vários à frente do Brasil como: Nicarágua, Peru, Paraguai e Bolívia - do grande ex-“líder cocaleiro” e hoje presidente, Evo Morales - e suas taxas de crescimento do PIB oscilam entre 2,8% a 9%. Mas Lula se gaba com pífios 2,5% do “show do crescimento” de seu governo. Mas ainda estamos à frente de superpotências econômicas como Jamaica, El Salvador, Guiana e Haiti!

Mas para Lula tudo vai bem. Ele voou em seu milionário “Air Force 51” nada menos de 206.883 quilômetros em 5,16 voltas ao mundo por 25 países em 50 dias pelo exterior. No Brasil o governo gastou, em 2005, segundo o Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), R$ 8,6 milhões em festas e publicidade. Valor muito maior do que o investido no Programa de Prevenção para Emergências e Desastres: R$ 2,3 milhões. O Ministério da Defesa também torrou dinheiro: R$ 3,2 milhões em aluguel de mesas, toalhas e jantares. Já o Ministério do Desenvolvimento Social paga, desde outubro, R$ 124.157,15 mensais por um prédio próximo à Esplanada dos Ministérios. A Caixa Econômica Federal avaliou o máximo que deveria ser pago pelo imóvel: R$ 59,8 mil. No preço do ministério o metro quadrado sai a R$ 47; no cálculo da Caixa, apenas R$ 20. Tudo isso para abrigar o Fundo Nacional de Assistência Social (FNAS) e o almoxarifado do ministério que cuida do programa “Fome Zero”.

O Palácio do Planalto mandou comprar 144 porta-canivetes suíços que serão usados pelos seguranças do presidente e seu vice. Também foram encomendadas flores tropicais, do campo e nobres por 47.600 reais.

A operação tapa-buraco-eleitoral de Lula, além de sofrer críticas de especialistas, é acusada pelo Tribunal de Contas da União (TCU) de contratar sem licitação empreiteiras que já prestaram serviços com indícios de “irregularidades graves”. Exemplo: um dos contratos possui sobrepreço de 117%, e a empresa contratada no Paraná foi impedida de participar de licitações por cinco anos. A Associação Nacional das Empresas de Obras Rodoviárias (Aneor) e o Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada (Sinicon) enviaram carta a Lula: “Isso que está se fazendo agora deverá se estragar com as primeiras chuvas. São obras que não mexem com a estrutura dos pavimentos”.

A CPI dos Correios descobriu mais R$ 4,1 milhões que saíram de contas ligadas a Visanet, que foram transferidas para o PT via SMP&B de Marcos “Mensalão” Valério declarados como “empréstimos para o PT”.

Em 2006, os brasileiros honestos que não agüentam mais mentiras, roubo, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, corrupção, incompetência, frases néscias em maltratado português, impunidade, acordos para salvar os bandidos do caixa 2 e “facadas pelas costas”, faremos contato com o presidente que finge não saber de nada, que finge viver no mundo da lua e que demitiu o “capitão do time”, José Dirceu, mesmo crente de sua inocência e de que contra ele não há provas. Nosso contato será por meio das urnas, será a vingança por tudo aquilo de que o PT fingiu não participar em 25 anos, mas, que em menos de três, revelou sua despreparada, vergonhosa e verdadeira face.

Sexta, 16 Dezembro 2005 21:00

Exterminadores do Futuro

Deve ser por conta de toda a falcatrua descoberta ao longo dos últimos meses no governo(?) petista que nem mesmo os filiados do partido ainda acreditam em sua antes messiânica legenda.

Stanley “Tookie” Williams, acusado de assassinar quatro pessoas há 26 anos, foi executado pelo Estado da Califórnia com uma injeção letal. Seus executores atrasaram sua morte por 20 minutos por não conseguirem colocar a segunda agulha na veia do braço esquerdo. “Ainda não a encontrou?”, perguntou ao funcionário da prisão. Williams morreu 13 minutos depois. Foram 25 anos no corredor da morte. Arrependido, “Tookie” foi indicado seis vezes consecutivas ao prêmio Nobel da Paz por seu trabalho contra a violência e também por seus livros, os quais lhe renderam uma indicação ao Nobel de Literatura. O condenado tentou até mesmo o perdão do governador Arnold Schwarzenegger – quem poderia transformar a execução em prisão perpétua - mas não foi atendido. O “Exterminador do futuro” teria se voltado ao apelo das pesquisas, as quais indicam 68% do eleitorado favorável ao assassinato legalizado. Os defensores de Williams chamaram a execução de “morte patrocinada pelo Estado”.

Nas vésperas das eleições de 2004 Lula enviou 10.657.233 cartas a aposentados e pensionistas para dizer que eles teriam acesso aos empréstimos consignados na folha de benefício. O TCU informa que a conta foi paga pela Previdência, ou seja, nosso dinheiro, caracterizando, segundo o presidente do Contas Abertas, Augusto Carvalho, violação da legislação eleitoral. Isso pelo homem que, no mais puro estado de humildade, se autodenomina a pessoa mais ética “desse País”.

E o nosso vice-presidente, José Alencar, quem diria! Sempre critica os altíssimos juros de Lula-lá, mas o que ele não conta é que sua empresa, a Coteminas, se aproveitou de empréstimos do BNDES com juros subsidiados e taxas muito abaixo dos valores de mercado.

Deve ser por conta de toda a falcatrua descoberta ao longo dos últimos meses no governo(?) petista que nem mesmo os filiados do partido ainda acreditam em sua antes messiânica legenda. É que a campanha para arrecadar R$ 13 milhões em tempos pós-valerioduto, abocanhou pouco mais de R$ 550 mil. Palavras do presidente do partido, Ricardo Berzoini, no lançamento da campanha: “A militância vai responder. O sentimento de que o PT é um patrimônio que não pode ser colocado em risco é muito forte na militância. Conversei com muita gente, mais de 500 pessoas. No máximo três ou quatro manifestaram ceticismo. Os demais ficaram entre a aprovação e o entusiasmo.” Miou. Nem mesmo Lula-lá respondeu. É o “caixa 3” do ceticismo destruindo o patrimônio.

A Folha de S. Paulo noticiou que na prestação de contas da campanha de Lula-lá em 2002, o PT afirmou ter pago R$ 795,7 mil a uma empresa de alimentos e bebidas pela fabricação de faixas e bandeirinhas. O partido da salvação nacional, da ética, do presidente que nunca sabe de nada, apresentou notas fiscais para comprovar o serviço. Mas “a produção deste tipo de material não está prevista no objeto social da companhia”. Viva os laranjas! Sem esquecer que Duda Mendonça, aquele que confessou ter recebido R$ 10 milhões valerianos do caixa 2 bandido no exterior, renovou contrato com a Petrobras por mais um ano.

Quantos brasileiros já tiveram seus sonhos assassinados com o desvio de milhões da corrupção que assola nosso País há décadas? Quantos de nós não seriam indicados ao prêmio Nobel da Paz, da Literatura e a tantos outros prêmios se não fossem os pífios investimentos em educação, pesquisa e extensão no Brasil pós-ditadura, e que nos sentencia ao eterno rótulo de “País emergente”? Quantos brasileiros, no corredor da morte da falta de segurança pública, pedem clemência aos políticos nas ruas, nas favelas, no cárcere do tráfico, nas algemas da miséria, nas cadeias do esquecimento, nos grilhões da fome, da marginalidade e da falta de dignidade humana? Quantos de nós sofrem nas mãos dos “Exterminadores do futuro” que não pensam em nada além das pesquisas que apontam como eles devem agir, o que devem dizer e quais gestos fazer para chegarem ao poder? Quantos de nós não estão perguntando aos que detém o poder político há anos: “Ainda não a encontrou?”, referindo-se à responsabilidade, à ética, à dignidade humana e a vontade de transformar o Brasil em um País de primeiro mundo? Quantos de nós não são condenados desde seu nascimento à “morte patrocinada pelo Estado”?

Sexta, 09 Dezembro 2005 21:00

De Merreca em Merreca...

Eis o “mundo novo possível” da esquerda filhote de Fidel Castro e íntima de Chávez no poder...

A secretária especial da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida da Prefeitura de São Paulo, Mara Gabrilli, disse à CPI dos Bingos que detalhou a Lula em 2003 todo o esquema de corrupção na prefeitura de Santo André, e pediu ao presidente que ali “promovesse uma intervenção federal”. Lula disse que “iria tomar providências a respeito”. Mara afirmou que “nada foi feito” e lembrou de que um dos assessores de Lula disse a ela “de maneira impositiva”, que não contasse à imprensa o assunto da conversa. Era para dizer que teriam falado a respeito da “reabilitação de portadores de deficiência física”. Estranho. Lula critica o Ministério Público a respeito do caso Celso Daniel e ainda diz ter certeza de que o assassinato, precedido de tortura, não passa de crime comum. Mas não é ele quem vive dizendo que não se pode julgar alguém sem que haja investigação? Lula tem competência para avaliar o caso?

Já o Relatório Direitos Humanos no Brasil 2005, organizado pela Rede Social de Justiça, traz críticas ao governo de movimentos sociais que ajudaram a eleger Lula. O documento afirma que o governo fracassou nas áreas de reforma agrária, meio ambiente, alfabetização, combate à fome, Amazônia, habitação urbana, política indígena e geração de empregos. Paulo Pedrini, da Pastoral Operária, alertou: “Há desemprego em todas as classes sociais, sendo que nas mais pobres e jovens o índice chega a 56%. E o pior é que hoje não temos mais uma central sindical, os trabalhadores ficaram órfãos, já que a CUT hoje é governo.” Os sem-teto também estão sem esperança. O coordenador do Fórum Nacional de Reforma Urbana, Nelson Saulo, afirma que o déficit de moradias aumentou de cinco para sete milhões com Lula-lá e os financiamentos privilegiam as classes média e alta.

A Justiça de São Paulo acatou denúncia criminal contra Marta Suplicy. A acusação do Ministério Público paulista é de que a ex-prefeita petista teria contratado, sem licitação e por R$ 2 milhões, o GTPOS (Grupo de Trabalho e Pesquisa de Orientação Sexual), ONG que ajudou a fundar.

Da internet: “do então deputado José Dirceu (PT-SP), em 11 de maio de 1994, a propósito do julgamento do deputado Ricardo Fiúza (PFL-PE), acusado de ter quebrado o decoro parlamentar:

‘Sr. Presidente, espero que amanhã esta Casa faça aquilo que a lei e o direito mandam. O que é público e notório dispensa provas. O deputado Ricardo Fiúza é corrupto. Isto é público e notório, dispensa provas’. (Fiúza foi absolvido.)

Do então deputado José Dirceu, no mesmo ano, a propósito da decisão do Supremo Tribunal Federal de absolver o ex-presidente Fernando Collor: “Após essa decisão, para que seja condenado por crime de corrupção passiva no Brasil, o cidadão terá de ser preso em flagrante ou ser réu confesso. (...) Evidentemente, os ministros do Supremo queriam absolver Collor de Mello e, assim, desqualificaram o testemunho de empresários, ministros e cidadãos. Depois afirmaram, de maneira quase cínica, que não existem testemunhos e provas materiais para incriminar o ex- presidente.”

Não é a história se repetindo com Dirceu e o PT no banco dos réus? Não é este hoje o discurso de Lula - de que não há provas - para tentar desqualificar a CPI e a cassação de Dirceu? Mas o que é público e notório não dispensa provas ou devemos esperar que a CPI encontre um recibo, nota fiscal ou declaração dos corruptores e dos corruptos de seu crime? E os R$10 milhões do Banco do Brasil que foram parar nos cofres do PT via Visanet? O Land Rover de Sílvio Pereira? Os contratos de Genoino? O dinheiro pago a Duda Mendonça no exterior? O caixa 2 bandido confessado e assumido por Delúbio? E Lula não sabia de nada?

O PIB encolhe 1,2% e Lula decreta: “Em economia não existe mágica, existe seriedade, transparência e passos do tamanho das nossas pernas. Não adianta ficar olhando para China, Estados Unidos. Não adianta ficar olhando para alguém que cresce mais ou menos do que nós. Temos que olhar para nossa indústria, para nossas possibilidades.” O que o presidente mais inocente “da história da República” não diz é que nosso PIB deverá crescer pífios 2,5% e que a média mundial dos países emergentes é de 6,4%!

Mas esperar o quê de um presidente que diz admitir a imposição de cotas para calçados brasileiros porque a Argentina tem o direito de reconstruir sua indústria? Segundo Mônica Bérgamo, Lula “está dando uma força ao deputado Professor Luizinho, que corre o risco de ser cassado por ter abocanhado R$ 20 mil do ‘valerioduto’. ‘É uma merreca’, disse Lula, pedindo a um senador do PT que atua numa das CPIs que ajude a conseguir votos na Câmara para salvar Luizinho.” Perto dos milhões do valerioduto, realmente, é uma “merreca”. Mas é crime!

Eis o “mundo novo possível” da esquerda filhote de Fidel Castro e íntima de Chávez no poder...

Sábado, 26 Novembro 2005 21:00

Pedido de Desculpas

Desculpe por pensar que Lula sabia de tudo, ou quase tudo, e que deveria ter o mesmo entendimento de Halley, uma garotinha de apenas três anos, quem indignada, chamaria muito político brasileiro de “bobo”.

Halley Vollmar, uma garotinha americana de apenas três anos, chamou seu pediatra de “bobo”. É que o médico, ao fazer exames de rotina, disse a ela: “Agora vou dar uma olhada na sua pipi”. Halley fico indignada: “Mamãe, por que ele chama a minha vagina de pipi?”.

Diante de tal fato peço desculpas. Desculpas por ter acreditado em Roberto Jefferson e seu irresponsável denuncismo. Por acreditar que Lula teria sido alertado a respeito do mensalão por, pelo menos, três vezes. Por crer em pessoas que querem destruir o governo e a figura de um homem que veio do povo, que lutou bravamente contra as injustiças do capitalismo selvagem e que ganhou o poder, e com ele, seu primeiro diploma.

Estou envergonhado por ter me deixado levar por denúncias vazias de dólares na cueca, de malas de dinheiro, de tráfico de influência de Vavá, irmão do homem mais inocente da “história da República”, de caixa 2, de contratos assinados por Genoino, de dinheiro pago a Duda Mendonça no exterior, de empresa que o filho inocente do presidente inocente ganhou da Telemar, de nossos milhões desviados para o caixa do PT por meio do Banco do Brasil via Visanet. Desculpe por acreditar em documento apócrifo da CPI dos Correios que mostra que recursos da Visanet foram usados politicamente, por meio de pedido assinado pelo então diretor do BB e também fundador do PT, Henrique Pizzolato, para pagar os R$ 70 mil do show dos 2 filhos de Francisco, feito para arrecadar recursos para a compra da nova sede do PT.

Desculpe por crer que teria havido acordo de R$ 10 milhões com o PL; por pensar que José “Repilo” Dirceu, Delúbio Soares, Silvinho “Land Rover”, José “Assinei sem Ler” Genoino, João Paulo Cunha, Prof. Luizinho, Paulo Pimenta, José Mentor, Paulo Rocha e João Magno poderiam ter cometido algum deslize; por crer no relatório da CPI do Mensalão que afirma que o valerioduto alimentou a campanha de Lula-lá e que houve “repasses periódicos” de dinheiro a parlamentares. Me perdoe!

Também peço perdão por achar estranho os petistas, no depoimento de Carla Cico, ex-presidente da Brasil Telecom, não perguntarem a razão de o advogado Roberto Teixeira ter sido contratado como consultor da empresa por dezoito meses pela bagatela de R$ 60 mil mensais. Pensei que seria pela amizade dele com Lula, que morou de graça por nove anos em um imóvel de Teixeira.

Estou envergonhado por dar crédito ao relator da CPI dos Correios, Osmar Serraglio, quem irá propor o indiciamento de 50 pessoas, incluindo José Dirceu - por estar no “eixo dos corruptores” -, Luiz Gushiken e José Genoino. Também me penitencio por crer em notícias que afirmam que o governo vai aplicar R$ 20 bilhões em 2006 para alavancar candidatura de Lula à reeleição e que tal valor supera a soma dos investimentos em 2003 e 2004. Mais envergonhado ainda estou por crer que a Presidência da República vai gastar R$ 23 mil com 150 colchas, 106 travesseiros de espuma, 270 fronhas, 170 lençóis, 20 cobertores e 75 colchões.

Peço desculpas por crer que Lula teria dito não ver crime cometido por José Dirceu, quem, por sua vez, vê exagero na punição a Delúbio Soares, o homem do caixa 2 bandido, e por crer que Lula sofreria da “síndrome do marco zero”: tudo foi inventado e iniciado no seu governo.

Desculpe por acreditar na pesquisa da CNT/Sensus que mostra que a aprovação de Lula caiu de 50% em setembro para 46,7%; que a desaprovação subiu de 39,4% para 44,2%; que a avaliação positiva do governo caiu de 35,8% em setembro para 31,1%; que 52,7% (maioria) desaprova a política econômica; que 77,3% acreditam que surgirão fatos novos e que 72,6% acreditam que a imagem de Lula foi maculada pela crise.

Enfim, peço desculpas por acreditar que Lula sabia do maior esquema de corrupção que já se teve notícia na história “deste país”, cujo principal objetivo, era o de perpetuar o PT e o presidente proletário no poder por longos anos. Puro denuncismo sem provas orquestrado pelas elites da direita capitalista.

Desculpe por pensar que Lula sabia de tudo, ou quase tudo, e que deveria ter o mesmo entendimento de Halley, uma garotinha de apenas três anos, quem indignada, chamaria muito político brasileiro de “bobo”.

Sob os holofotes, sobe no pedestal da moral e dos bons costumes e esbraveja bom mocismo e compromisso com a verdade. Mas na escuridão dos porões do Palácio conspira pessoalmente contra as investigações com a caneta e a chave do cofre.

Em Teófilo Otoni, Vale do Mucuri, uma das mais pobres regiões de Minas Gerais, o presidente Lula disse que o povo elegeu “não um presidente, mas um companheiro”, por causa de sua sensibilidade para com os mais pobres. Dos antecessores destilou despeito: “Possivelmente, todos eles eram muito mais cultos do que eu, leram muito mais livros do que eu, eram até mais inteligentes. (Bingo!) O que não tinham era uma ligação sentimental e de coração com os problemas do povo. É uma coisa chamada liga, é uma coisa chamada sangue”. Mas não disse que segundo o economista José Roberto Afonso, na era FHC os bancos lucraram R$ 5,7 bi, em média, por semestre. Com o companheiro-lá os lucros foram para 18,5 bi, o equivalente a 3,2 vezes mais. Religião, futebol e ligação sentimental de coração não se discute!

Falando em religião, três dias depois de Lula ter negado que sabia do caixa 2 e da compra de parlamentares pelo PT, o presidente da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), dom Geraldo Majella Agnelo, afirmou que “é difícil acreditar” na declaração do presidente. Para o bispo, Lula “exagera” ao tentar demonstrar otimismo. “Pela posição dele, como presidente, ele deve conhecer quem está ao seu lado... E, portanto, se cometem alguma coisa, ele deve querer saber até o fim. Eu penso que ele deve saber, porque isso é da sua competência. Ele não pode estar alheio ao que acontece perto de si”.

No Roda Viva, Lula, com nariz de Pinóquio, declarou: “O que é importante para mim e que me deixa muito de cabeça erguida é o seguinte: nós estamos com três CPI funcionando, não há nenhuma ingerência do governo para criar nenhum problema para a CPI. Acho que o povo brasileiro deve aproveitar que eu estou na Presidência da República e, se alguém tiver denúncias, tem que fazer as denúncias porque elas serão apuradas.” Quase 72 horas depois Lula e sua cúpula fizeram de tudo para a retirada de assinaturas de parlamentares do requerimento de prorrogação da CPI dos Correios até abril de 2006. Segundo a Folha, Lula “contou até com ações discretas do ministro Márcio Thomaz Bastos (Justiça!), que procurou parlamentares próximos para buscar demovê-los de estender a comissão” e que “Lula comentou com auxiliares que ‘estava cansado’ por ter ‘tratado pessoalmente’ da CPI. A atuação de Lula repete a adotada em maio passado, quando já havia trabalhado para evitar a instalação da mesma CPI.” Isso somado a R$ 1 bi em emendas resultou na “liga” da mudança de pensamento de mais de 60 políticos preocupados com a total apuração do “denuncismo” que recai sobre companheiros perseguidos pelas elites “deste país”.

Lula-lá se mostra pequeno, acuado, com medo da verdade e insensível àqueles cujos reais interesses jurou defender. Jogou no lixo os milhões de votos dos brasileiros que acreditavam em seu discurso da ética e da honestidade na política. Sob os holofotes, sobe no pedestal da moral e dos bons costumes e esbraveja bom mocismo e compromisso com a verdade. Mas na escuridão dos porões do Palácio conspira pessoalmente contra as investigações com a caneta e a chave do cofre.

O professor de direito penal da USP, Miguel Reale Jr., pensa que Lula cometeu crime de responsabilidade e de falta de decoro ao “tentar manipular a vontade do Congresso com suborno, depois de dizer que não impediria as apurações”. “Esta intervenção direta do presidente, que deixa suas impressões digitais para tentar manipular a vontade do Congresso por meio de emendas, é imoral... impedir o exercício legítimo da fiscalização fere a dignidade do exercício da Presidência”.

A deputada Zulaiê Cobra (PSDB-SP) sentenciou: “lugar de bandido é na cadeia. Ele (Dirceu) chefiou uma quadrilha... tem outro bandidão que vai sair: é o Lula”. “O presidente Lula não só sabia de tudo, como coordenava. Ele era o gestor disso tudo, daí essa amizade intrínseca dele com o Delúbio. O Delúbio tem uma força muito grande, não se entende essa força do Delúbio. O Zé Dirceu foi punido, o Genoino foi punido, o Silvinho Pereira foi punido, o único que não foi punido foi o Delúbio, porque é homem de confiança de Lula. Eu perguntei para o Delúbio: ‘Quem levou você para a tesouraria do PT?’ E ele falou: ‘Foi o presidente Lula!’ Ele veio da CUT diretamente para a tesouraria do PT.”

Fui ver “Dois Filhos de Francisco”. Não gosto muito do estilo mas criticar sem conhecer é covardia. Conclusão: Longo, cansativo e prova de que a insistência, ao mais puro estilo pavloviano, decreta aos sentidos, a ditadura da indústria cultural. É o país do PT e de Lula em seu mais puro (E)stado. A diferença é que os filhos de Francisco têm talento.

O jornal britânico “The Times” estampou manchete sobre a vinda de Bush à América Latina com rápida passagem pelo Brasil: “Bush vai para a terra dos foras-da-lei.”

O jornal britânico “The Times” estampou manchete sobre a vinda de Bush à América Latina com rápida passagem pelo Brasil: “Bush vai para a terra dos foras-da-lei.”

Já o sociólogo e fundador do PT, Francisco de Oliveira, disse que Lula é um “político bisonho”. Aos dirigentes do partido: “como políticos, todos que estão no PT hoje, nos organismos de direção, revelaram-se bisonhos, tacanhos, aquém da esperança do povo brasileiro. Para Oliveira, o final do governo(?) Lula será “medíocre”, “não só pelo desempenho frouxo das políticas sociais, que eram a marca registrada do PT, como pelo fato de conseguir uma política econômica conservadora. Além disso, gesta crises políticas todos os dias, devido à tentativa de tornar-se uma espécie de partido único”.

A CPI da Terra revelou auditoria feita pelo TCU (Tribunal de Contas da União) em 74 convênios feitos entre o governo e entidades ligadas ao MST, e deve convocar o ex-presidente do PT, Tarso Genro, e o presidente do Incra, Rolf Kackbart, para explicarem supostas irregularidades em contratos com a Anca (Associação Nacional de Cooperação Agrícola) e Concrab (Confederação das Cooperativas de Reforma Agrária). Tarso explica a suspeita do desvio de verbas do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) para a festa de comemoração de 20 anos do MST, e Kackbart a suspeita de desvio de recursos orçamentários definidos à aquisição de imóveis para a reforma agrária. O dinheiro teria pago seminários e cursos do MST.

No ranking elaborado pela ONG Social Watch, o Brasil ocupa o 94º lugar quando o assunto é área social e combate às desigualdades e, como país de nível baixo em desenvolvimento social, iguala-se ao Congo!, Zimbábue!, Namíbia!, Sudão!, República Dominicana!, Colômbia!, Equador!, Peru!, Azerbaijão!, Síria!, Chega!

Segundo Reinaldo Gonçalves, professor de economia internacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o índice de desenvolvimento econômico brasileiro em relação à economia mundial (2003 a 2006), ficará negativo em 1,4 ponto percentual/ano. Entre 25 presidentes da República, será o terceiro pior resultado desde 1901. Índice negativo é sinal de subdesenvolvimento, lembrou o professor.

No começo do ano o Ministério dos Transportes planejou investir R$ 6 bilhões em manutenção e recuperação de rodovias. Mas Lula, por meio de decreto, reduziu os gastos a R$ 3,8 bilhões. No mesmo período a defesa sanitária de Mato Grosso do Sul pediu ao governo federal R$ 12 milhões para utilizar contra a febre aftosa. Conseguiu apenas R$ 3,5 milhões e o dinheiro ainda não chegou. Conclusão: a conversa para boi dormir de Lula vai ter de acabar por falta de platéia.

Lula ria a cada pergunta feita sobre os US$ 3 milhões do Cubagate. Depois queixou-se de que os jornalistas foram “mal-educados” ao insistirem nas perguntas. É que a lei proíbe que os partidos recebam dinheiro do exterior. Se provada a acusação, pode-se cancelar o registro do PT, impedindo as candidaturas dos filiados do partido, inclusive a do educado Lula que não tem coragem de enfrentar coletiva com a imprensa e deixar tudo esclarecido.

Não há mais como suportar provocações diárias como as de Aldo “Pererê” Rebelo (PC do B) dizendo que Lula e José Dirceu “nunca foram amigos”; como o maior esquema de corrupção já visto no País; como Vavá, irmão de Lula, dando um de lobista; como os milhões que a Telemar despejou na empresa do filho de Lula; os dólares na cueca; deputados que sacaram das contas de Marcos “Mensalão” Valério; as malas de dinheiro; o assassinato do petista Celso Daniel; o desespero de José Dirceu; o dinheiro de caixa 2 recebido por Duda Mendonça no exterior; o caixa 2 do PT confessado por Delúbio - tido como comum por Lula-lá na França e tido como “coisa de bandido” por Márcio Thomaz Bastos -; o suposto dinheiro recebido pelo PT das Farc, do Cubagate e agora os R$ 10 milhões que irrigaram o “valerioduto” que o Banco do Brasil desviou para o PT por intermédio de verbas de publicidade da Visanet, empresa da qual o banco possui 33% do capital! É dinheiro público, de nós arrancado e que foi parar no PT!

No blog de Paulo Markun, do Roda Vida, ao acertar detalhes do programa no qual Lula participará, o jornalista diz que, mais do que os dólares supostamente vindos de Cuba, “o que está preocupando” Lula é o Corinthians, pois “acha que a contusão de Roger, o meia do time, que quase quebrou o tornozelo no jogo contra o Vasco, em que o Timão empatou por um a um, pode fazer com que o time perca o ritmo”.

Ah, esses jornalistas mal-educados de alma pequena que só perguntam coisas sem importância!

Sábado, 08 Outubro 2005 21:00

O Lula Disse

“O PT, que começou como um partido de presos políticos, pode terminar como um partido de políticos presos”.

A novela brasileira da política de botequim, da falta de respeito ao eleitor que paga os mais altos impostos da “história da República” continua. Lula disse que “Faz 120 dias que o Brasil vive subordinado a centenas de denúncias. As mentiras irão aparecer e as verdades também. Acho que os deputados devem estar com muita dificuldade de apurar a concretude* das denúncias feitas. As denúncias aparecem e depois não se concretizam e fica o dito pelo não dito”. Lula não disse que o governo, liderado pela senadora Ideli Salvatti (PT-SC), impediu, na CPI dos Correios, a quebra do sigilo bancário de 11 corretoras que teriam causado prejuízos a fundos de pensão em operações de compra e venda de títulos públicos. Isso apenas ocorreu depois que a “oposição” se revoltou e a opinião pública reagiu. Também não disse que por 15 dias a CPI não votou por falta de parlamentares. “E não existe pedido de desculpas, não existe reparação, não existe retratação”, alardeou o presidente. Ora, quem até hoje não enfrentou entrevista coletiva e não se retratou pela traição aos milhões de eleitores, formação de quadrilha pela alta cúpula do PT, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, mensalão e o caixa 2, foi Lula. E pensar que o ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, disse que caixa 2 é coisa de bandido...

Na favela de Heliópolis Lula fez campanha com os pré-candidatos petistas ao governo do Estado, Aloízio Mercadante e Marta Suplicy. Usou o cantor Netinho para não correr o risco de ser vaiado. Daí para frente o de sempre: Disse que morou perto da favela, que não tinha dinheiro para pegar o ônibus e usou da humildade habitual: “Sou um exemplo de que ninguém deve desistir por causa de situação adversa. Se eu tivesse abaixado a cabeça, possivelmente eu seria um derrotado. Mas eu não abaixei a cabeça, lutei e hoje estou aqui, presidente da República, numa demonstração de que todos vocês, se acreditarem no sonho de vocês e tiverem determinação, poderão chegar onde eu cheguei.” E mostrou seu lado Chávez dizendo que não foi eleito “para fazer as coisas apenas para quem tem dinheiro. Temos de fazer as coisas para a população que não tem nada.” Lula não disse que gastou milhões do povo para eleger Aldo Rebelo. O governo liberou verbas para Severino Cavalcanti: R$ 1,082 milhão; Waldemar da Costa Neto: R$ 1,114 milhão e Roberto Jefferson: R$ 1,2 milhão! Uma semana antes da eleição liberou R$ 500 milhões para emendas parlamentares e cooptou o PL prometendo o Ministério dos Transportes e mais R$ 1 bilhão em recursos, já contabilizados os R$ 500 milhões. No dia da eleição prometeu ao PP que o Ministério das Cidades receberia R$ 950 milhões: R$ 600 milhões em emendas de bancadas e R$ 350 milhões de emendas individuais de parlamentares aliados.

Sobre sua reeleição, Lula disse aos metalúrgicos que se depender dele e da primeira-companheira, Marisa Letícia, continuarão morando em seu “apartamentozinho”. Lula não disse que possui um apartamento de cobertura em São Bernardo do Campo. A melhor: “Como vocês nunca se arrependeram de ter me eleito presidente do sindicato, também nunca se arrependerão de ter me eleito presidente da República”. É piada, né?

Quanto ao governo de Hugo Chávez, a quem o presidente nutre amor apenas comparável ao que sente por Fidel Castro, Lula disse que a Venezuela é um país democrático. “Poder-se-ia até dizer que tem (democracia) em excesso”. Lula não disse é que Chávez – quem se autodenomina revolucionário e soldado - deu golpe militar e é acusado de fraude no referendo para se perpetuar no poder com ajuda da mão armada dos militares. Chávez avisou na TV Cultura que a esquerda é o caminho. “Esse é o caminho da libertação e da salvação do nosso povo. O outro caminho é o consenso de Washington, que é o caminho do inferno.” Água benta nele! “Nós, os líderes (de esquerda), somos conseqüência, não somos a causa”, alertou. Está coberto de razão! A Comissão Econômica para a América Latina (CEPAL), afirma que 96 milhões sobrevivem com menos de um dólar ao dia. Somando os que sobrevivem com menos de dois dólares diários com os que vivem em extrema pobreza, são 222 milhões no caminho do inferno; o equivalente a 43% da América Latina. Junte a isto o analfabetismo e o esquerdismo chinfrim e veremos que líderes de esquerda como Chávez, Castro e Lula são mesmo a conseqüência de toda esta desgraça.

Aldo Rebelo se destacou pelo estupendo projeto que instituiu o “Dia Nacional do Saci Pererê”. Chamem Monteiro Lobato! Lula não ficou atrás e instituiu o “Dia Nacional do Forró”. Chamem o Genival Lacerda! Que tal o “Dia Nacional do Pinóquio”? Chamem a cúpula do PT! Mas para Lula, Rebelo “tem a sensatez que a Câmara precisa”. Podem acreditar, o Lula disse...

“O PT, que começou como um partido de presos políticos, pode terminar como um partido de políticos presos”. Não, não foi o Lula quem disse. Foi Joelmir Betting. Puro denuncismo...

Sábado, 01 Outubro 2005 21:00

Espelho, Espelho Meu...

Que nas próximas eleições o povo olhe para o espelho e se lembre do passado político dos que hoje dominam o País e mostram qualquer sintoma de debilidade no funcionamento de seus cérebros.

A testemunha de defesa de José Dirceu, ex-articulador político do Planalto e candidato governista à presidência da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), obteve 258 votos contra os 243 do candidato da oposição, José Thomaz Nonô (PFL-AL), e foi eleito. Lula entrou na disputa. Foram R$ 500 milhões para emendas de deputados e cooptação do PL com liberação de R$ 1 bilhão para o Ministério dos Transportes, de Alfredo Nascimento, indicado do partido acusado de receber o mensalão.

Conheci Rebelo enquanto participava de um congresso na Universidade Estadual de Londrina (UEL). Ele estava sentado à mesa de debate ao lado de duas professoras doutoras a fim de defender o então esdrúxulo projeto pelo qual se proibiria o uso de estrangeirismos na língua portuguesa. Estávamos sendo dominados pelo inglês e isso é blasfêmia aos olhos de um comunista convicto. Se o domínio fosse russo, espanhol com sotaque cubano, coreano, chinês, ou até mesmo quem sabe, albanês, tudo bem. Rebelo chegou a dizer que quando éramos influenciados pelo francês a dominação, pelo menos, era “chic”.

Esqueceu-se, o nobre deputado, de que os árabes invadiram a Península Ibérica, cuja dominação perpetuou-se por 700 anos. Legaram uma riquíssima herança cultural como a bela arquitetura do Islã, comida, danças, música etc.; mas nem por isso o árabe é falado por lá hoje. A Grécia foi dominada pelos Otomanos por 300 anos e não se fala turco por aquelas plagas; e para dar um exemplo bem atual, nem mesmo a China comunista, do partido de Rebelo, destruindo aspectos culturais e controlando o Tibete com mão de ferro há 50 anos, conseguiu fazer que o chinês seja a língua do local.

Quando as doutoras contrariaram Rebelo afirmando que estrangeirismos não são proibidos por força de lei, mas sim por escolas de qualidade, professores bem remunerados, investimentos em pesquisa e extensão, seriedade em políticas públicas de educação etc., o bravo deputado se levantou e começou a berrar dizendo que sabia muito bem o que fazia com seu mandato.

Já em Brasília, durante a votação, correu a notícia de que o deputado Ciro Nogueira (PP-PI) telefonou para Severino Cavalcanti comunicando adesão a Rebelo. Severino teria festejado por conta da certeza de que terá os recursos prometidos pelo governo para gastos de sua futura campanha a deputado federal e obras em currais eleitorais. Na Internet, a notícia era de que assim que começou a apuração do segundo turno, o líder do PCdoB e irmão de Renan Calheiros, Renildo Calheiros, e o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, festejavam com José Janene (PR), líder do PP. Calheiros teria dito a Janene: “Se não fosse você, não sei não.”

Palavras de Roberto Freire, presidente nacional do PPS: “Esta casa é louca, esquizofrênica. Está pronta para eleger o ministro e ex-coordenador político de um governo que pagava mensalão aos deputados. Não é o pizzaiollo que sentará na cadeira de presidente da Câmara. É o próprio chefe de cozinha.”

Mais contundente foi Jair Bolsonaro (PP-RJ). Citou trechos de uma entrevista em que Milton Neves pergunta ao sindicalista Lula se ele tem pena de Collor. “Tenho. Não é que eu tenho pena. Como ser humano eu acho que uma pessoa que teve a oportunidade que aquele cidadão teve de fazer alguma coisa de bem para o Brasil, um homem que tinha respaldo da grande maioria do povo brasileiro, ou seja, ao invés de construir um governo, construiu uma quadrilha como ele construiu, me dá pena porque deve haver qualquer sintoma de debilidade no funcionamento do cérebro do Collor. Efetivamente eu fico com pena porque eu acho que o povo brasileiro esperava que essa pessoa pudesse, pelo menos, conduzir o país senão a soluções definitivas, pelo menos a indícios de soluções para os graves problemas que nós vivemos. Lamentavelmente a ganância, a vontade de roubar, a vontade de praticar a corrupção fez com que o Collor jogasse o sonho de milhões e milhões de brasileiros por terra. Mas de qualquer forma eu acho que foi uma grande lição que o povo brasileiro aprendeu e eu espero que o povo brasileiro, em outras eleições, escolha pessoas que, pelo menos, eles conheçam o passado político”. Bolsonaro sugeriu a Lula que repetisse a resposta olhando para o espelho.

As abertas negociações de Lula com partidos do mensalão – inclusive empenho de R$ 100 mil à emenda de Valdemar da Costa Neto, quem renunciou para escapar de cassação -, promessas de liberação de indicações para o Ministério das Cidades, de cargos e verbas para projetos, nossos representantes, que por maioria se apresentam como agentes públicos de interesses privados, homens com respaldo da população e com oportunidade de mudarem o Brasil, jogam por terra o sonho de milhões de brasileiros. Há quem diga que os políticos são o reflexo da sociedade.

Que nas próximas eleições o povo olhe para o espelho e se lembre do passado político dos que hoje dominam o País e mostram qualquer sintoma de debilidade no funcionamento de seus cérebros. Espelho, espelho meu...

Sábado, 24 Setembro 2005 21:00

"Justiça, Não Vingança"

Em suas memórias, “Justiça, não Vingança”, dizia que sua força para sobreviver veio da decisão de trazer punição aos carrascos do holocausto que matou mais de seis milhões de judeus.

Morreu Simon Wiesenthal, o caçador de nazistas. Foi arquiteto em Praga de 1932 a 41, quando a ocupação de Hitler na Checoslováquia o fez prisioneiro. Sofreu em 12 campos de concentração até ser libertado por americanos em Mauthausen. Em suas memórias, “Justiça, não Vingança”, dizia que sua força para sobreviver veio da decisão de trazer punição aos carrascos do holocausto que matou mais de seis milhões de judeus. Ajudou na investigação de seis mil e na punição de 1.100 assassinos nazistas como Adolf Eichmann, que deportou mais de três milhões aos campos de extermínio; Klaus Barbie, chefe da Gestapo e “carniceiro de Lyon”; oficial SS Karl Silberbauer e Franz Stangl, chefe em Treblinka. Wiesenthal descobriu também a ligação entre os nazistas da organização Odessa e o Vaticano.

Na inauguração do aeroporto de Maceió Lula encarou a crise com normalidade: “Essa é a lógica natural da política em qualquer lugar do mundo. Não tem por que ficarmos traumatizados, já que a crise vai fortalecer a democracia. Quem mentiu vai aparecer”. Já que é o PT que afunda em denúncias, traumatizar para quê? Proclamou também o bom-mocismo pedindo aos que possuem mais dinheiro que doem “um pouquinho do seu para os que têm menos” e usou da humildade de sempre: “Ninguém fará mais pelo nordeste do que eu farei”. É bom começar já, porque o Dieese aponta Salvador como cidade onde 42,8% dos jovens entre 16 e 24 anos estão desempregados; no Recife são 42%. Lula até pôs seu nome na “história desse País” com mais uma frase pronta: “daqui para frente tudo vai ser diferente.” São tantas emoções, bicho!

Os seguranças do presidente leram todas as faixas levadas para o evento, barrando quem fosse protestar. Os mais de 100 que gritavam “fora Lula” amargaram a 200 metros do homenageado. Com nariz de palhaço gritavam: “Fora já, fora já daqui, Lula palhaço do FMI”.

O PT contratou por R$ 300 mil alguns dos melhores advogados “desse País” para a defesa de Delúbio Soares e Silvinho “Land Rover”. O contrato foi assinado pelo então presidente do partido, José Genoino – será que leu antes? - e por Delúbio. Embora tenham deixado os cargos, o contrato continua. Até agora ninguém do PT foi punido pelo partido, cujas eleições internas sofreram várias suspeitas de fraude e pedidos de impugnações. O candidato à presidência do Diretório Nacional, Luiz Gonzaga da Silva, o Gegê, é foragido da Justiça, acusado de co-autoria em homicídio. O partido disse que como foi decretado um mandado de prisão contra Gegê, ele não poderia votar. Pior: o PT ainda não teve seus documentos e cofres investigados pela Polícia Federal. Como tranqüilizou Lula, essa é a lógica da política em qualquer lugar do mundo...

Para Arthur Virgílio, líder do PSDB no Senado, Eduardo Azeredo não sabia que sua campanha ao governo de Minas em 1998 recebeu dinheiro de Marcos “Mensalão” Valério. “É preciso distinguir o caixa dois do projeto sistêmico de corrupção do governo Lula. O PT quer colocar um tucano na história. Não conseguirá”, decretou Virgílio. Traduzindo: o caixa dois do PSDB não é crime, mas sim apenas a corrupção sistêmica do governo Lula.

Tudo isso acontece e bilhões de reais vão escoando pelo ralo do propinoduto criado pela cúpula do PT para a perpetuação do partido no poder. Bilhões que deveriam ser utilizados em benefício do povo, não de canalhas, corruptos, mentirosos “que precisam aparecer”, ladrões do nosso dinheiro que não têm vergonha de negarem evidências mais claras que a luz do sol ao meio-dia. Cada real desviado é uma criança que morre de fome, um indigente abandonado nas ruas, um aposentado que desfalece por inanição nos carcomidos hospitais da rede pública de saúde, são cidadãos fora das escolas e professores mal remunerados, é a violência urbana que extermina nossos jovens, é o caos, as câmaras de gás da ideologia latina anacrônica e perversa, os campos de extermínio da miséria intelectual, o holocausto social brasileiro, alimentados pela ganância e falta de respeito ao próximo, pela esquerda populista das cavernas que ainda assola a América Latina de Lula da Silva, Fidel Castro e Hugo Chávez.

Muito mais de seis milhões já morreram pelas mãos de corruptos federais, estaduais e municipais. Onde estão os brasileiros como Wiesenthal? Os que possuem a decisão de trazer punição aos carrascos do nosso pesadelo diário? Aqueles que por meio das urnas irão caçar e retirar do poder os torturadores dos filhos “desse País”? Os arquitetos, jornalistas, comerciantes, contabilistas, mecânicos, líderes religiosos, donas de casa etc., cidadãos brasileiros de mente racional que tomarão o lugar dos ignorantes, dos marginais, para mudarem de verdade o Brasil?

Onde estão os caçadores de corruptos que buscam por “justiça, não vingança”? Onde estão?

Sábado, 17 Setembro 2005 21:00

"Morte e Vida Severino"

Severino enfrentou com coragem a entrevista coletiva e tentou explicar o inexplicável. Se mentiu, foi desmentido. Mas coragem não faltou. Lula deveria fazer o mesmo.

Pagina 3 de 5
  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.