Sáb09232017

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

Rodrigo Constantino

Rodrigo Constantino

Rodrigo Constantino é economista formado pela PUC-RJ, com MBA de Finanças pelo IBMEC. Trabalha desde 1997 no mercado financeiro, como analista de empresas e administrador de portfolio. É autor do livro "Prisioneiros da Liberdade", da editora Soler.

 

 

 

Um grupo de engenheiros formados pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) lançou uma carta que nada tem a ver com a construção de aeronaves. Intitulado “Manifesto pelo Brasil”, o texto expõe preocupação com os rumos do país, “nestes tempos de instabilidade política, corrupção, desemprego e violência”, e se dispõe a pensar em novas saídas para a crise nacional. É a primeira vez que ex-estudantes da instituição se posicionam sobre assuntos dessa natureza.

 

 

Os privilegiados do setor público estão por trás dos protestos contra as reformas estruturais de que o país precisa, e ainda querem aumentos de salário. Configura-se um quadro de parasitas demais para poucos hospedeiros, quando a crise derruba a atividade econômica como derrubou. A conta não fecha. Não é possível se iludir eternamente.

Sexta, 14 Julho 2017 15:29

A POLÍTICA DA NOSTALGIA

A nostalgia pode ser uma poderosa arma política. Pode ser um motivador ainda mais poderoso do que a esperança, explorada pelos revolucionários. A esperança pode trazer decepção, mas a nostalgia é irrefutável. Ela adota um pensamento mágico para a História, e o sofredor da modernidade encontra refúgio nessa magia, na ilusão de que existiu um Éden e que é possível resgatá-lo.

Essa foi a pergunta que Joaquim Barbosa fez aos artistas em encontro recente, segundo Mônica Bergamo. Já comentei aqui sobre essa tão sonhada chapa dos artistas e “intelectuais”, com Marina Silva e Joaquim Barbosa.

 

 

 

É um espanto! Mas é a típica mentalidade feminista, sinônimo de socialista. Atacar terroristas islâmicos não pega muito bem nesse mundo politicamente correto. Por isso é melhor atacar a “censura do mercado”, ou seja, a falta de desejo dos consumidores em ler histórias em quadrinhos repletas de mensagens políticas chatas, quando querem apenas boas histórias de heroísmo e, talvez, amor.

O câncer do Brasil são esses sindicatos poderosos. Acabar com o nefasto “imposto sindical” é uma necessidade urgente. Só assim essas entidades vão minguar, pois no dia em que dependerem da adesão voluntária dos trabalhadores, ficarão a ver navios. O trabalhador sabe muito bem que essa turma não o representa, e sim os interesses dos próprios sindicalistas e políticos de esquerda.

 

 

 

Potencial a gente sabe que o Brasil tem. Afinal, são tantos anos de incompetência, corrupção, ideologia equivocada, tudo criando uma gigantesca barreira ao empreendedorismo, que basta retirar alguns obstáculos para o bicho decolar. Mas a questão é essa: vão ser retirados os obstáculos?

A Petrobras registrou prejuízo de R$ 14,82 bilhões em 2016, em linha com o esperado pelo mercado. Foi o terceiro ano consecutivo de perdas. Em 2015, o resultado foi negativo em R$ 34,8 bilhões. Apesar disso, a estatal apresentou melhoras operacionais em razão da redução dos investimentos e do corte de despesas. 

 

 

 

Se continuar a emergir do pântano podres assim, é capaz até de Obama encontrar a tal certidão de nascimento e se mandar para a Quênia, em busca de “asilo político”…

Para se provar “independente”, para se mostrar “descolada” e “empoderada” (argh!), a mulher tem que praticamente se transmutar em homem, e um homem feio, descuidado, largado. Tem que virar um bicho esquisito, um ser estranho, meio andrógino. Vai entender! É muita loucura mesmo.

Pagina 1 de 44
  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.