Sáb08242019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

20 Jul 2005

Governar e Desgovernar

Escrito por 

Governar é fazer programas sociais que preparem o cidadão para a vida e para o trabalho.Desgovernar é adotar programas assistencialistas e paternalistas que eternizam a pobreza.

1. Governar é coordenar os esforços dispersos dos agentes sociais introduzindo mecanismos que estimulem o bom funcionamento do Todo.
Desgovernar é inventar formas sutis ou grosseiras de controlar as ações individuais a pretexto de promover o bem comum.

2. Governar é se entregar de corpo e alma aos desafios nacionais, é trabalhar com operosidade em prol da solução dos problemas miúdos e graúdos que atormentam a coletividade.
Desgovernar é cindir a sociedade, é criar polarizações entre elite e povo que só servem para manipular os desvalidos. É o presidente colocar as camisas de determinados times esquecendo que o País só tem um uniforme oficial. É colocar bonés de movimentos sociais que desrespeitam a Constituição.

3. Governar é abrir e consertar estradas. É estimular a busca de novas vias pelo conhecimento e pela criatividade.
Desgovernar é fechar caminhos, obstruir a iniciativa individual e inibir o aguilhão empreendedor dos cidadãos.

4. Governar é criar um ambiente favorável aos investimentos. É gerar confiança entre os agentes, é ser guardião das regras do jogo da vida social. É dar exemplo com conduta moral irrepreensível. É respeitar de forma incondicional o Estado de Direito.
Desgovernar é prometer milhões de emprego sem criar as condições propícias ao crescimento sustentado da economia. É aumentar a carga tributária, fazer crescer as despesas e supor possível que assim ocorrerá o “espetáculo do crescimento”.

5. Governar é contar com uma burocracia proficiente, com um corpo de funcionários que se destaca pelo profissionalismo e que exibe desvelo e competência técnica na solução objetiva dos problemas.
Desgovernar é fazer do Estado a sucursal do Partido contratando milhares de militantes com total desatenção ao mérito e à qualidade profissional.

6. Governar é enxugar despesas, cortar gastos e diminuir custos em respeito aos enormes sacrifícios feitos por trabalhadores e empresários para pagar impostos gravosos.
Desgovernar é gastar sem eficiência e sem metas rigorosamente definidas desperdiçando parcos recursos. É desrespeitar acintosamente a realidade da escassez.

7. Governar é fazer programas sociais que preparem o cidadão para a vida e para o trabalho – em suma que redundem em sua qualificação moral e profissional.
Desgovernar é adotar programas assistencialistas e paternalistas que eternizam a pobreza criando um mercado político de párias explorado de modo torpe pelos pseudo-salvadores da pátria e pelos pseudopais dos pobres.

8. Governar é velar para que a liberdade de expressão não seja desrespeitada, para que nada trave o livre fluxo das opiniões e subsista uma saudável contraposição entre diferentes visões de mundo.
Desgovernar é fazer cartilhas que definem o politicamente correto como forma sorrateira de impor o Pensamento Único.

9. Governar é respeitar a liberdade de imprensa, o direito que o cidadão tem de ser informado a respeito de tudo que ocorre – sobretudo nos desvãos e porões dos governos que se dizem honestos sem sê-lo.
Desgovernar é criar Conselhos de Controle da Inteligência e da Informação para impedir que as notícias das falcatruas, do caudal de corrupção, cheguem ao conhecimento do grande público.

10. Governar é desburocratizar, facilitar a vida dos cidadãos deixando-os à vontade para perseguir – de forma regrada - seus objetivos.
Desgovernar é se imiscuir nas relações interpessoais, é invadir a esfera de decisões individuais com a desculpa de corrigir distorções nas relações entre os cidadãos.

11. Governar é administrar e despachar; é ler projetos avaliando a viabilidade e a justeza de sua implantação. É abraçar as tarefas comezinhas de lidar com o varejão de problemas de uma sociedade.
Desgovernar é fazer marketing ilusionista, é ser o governante garoto-propaganda de si mesmo. É assumir o papel decorativo de rei num regime presidencialista.

12. Governar é dar atenção especial à segurança das pessoas, protegendo-as da sanha de bandoleiros e homicidas.
Desgovernar é passar a mão na cabeça dos bandidos justificando o que fazem como subproduto do Sistema socioeconômico. É permitir que a impunidade campeie, que os presídios se transformem em centrais operacionais do crime organizado.

13. Governar é dividir o Poder com as várias instâncias de decisão. É construir e respeitar a autêntica idéia de federação.
Desgovernar é pôr em prática a voracidade centralizadora que leva à total ineficiência, como ficou claro com as economias centralmente planificadas, e ao totalitarismo.

14. Governar é assumir o papel modesto de servidor da sociedade.
Desgovernar é se achar o dono do pedaço. É sonhar em ser Mussolini, Hitler, Stalin, Mao, Pol Pot ou...

Última modificação em Domingo, 01 Setembro 2013 13:42
Alberto Oliva

Filósofo, escritor e professor da UFRJ. Mestre em Comunicação e Doutor em Filosofia pela UFRJ. Professor-palestrante da EGN (Escola de Guerra Naval) e da ECEME (Escola de Comando e Estado-maior). Pesquisador 1-A do CNPq. É articulista do Jornal de Tarde desde 1993. Possui sigficativas publicações como "Liberdade e Conhecimento", "Ciência e Sociedade. Do Consenso à Revolução", "A Solidão da Cidadania", "Entre o Dogmatismo Arrogante e o Desespero Cético" e "Ciência e Ideologia".

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.