Qua01292020

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

15 Jun 2005

O Pesadelo Caribenho

Escrito por 

Uma coisa deveras irritante é justamente que em uma época em que se fala tanto de terrorismo a mídia tupiniquim não tece um único comentário sequer sobre os terroristas entocados na ilha de Fidel.

“Um povo ignorante é instrumento de sua própria destruição” (Simón Bolívar)

Uma coisa deveras irritante é justamente que em uma época em que se fala tanto de terrorismo a mídia tupiniquim não tece um único comentário sequer sobre os terroristas entocados na ilha de Fidel. Pior! Quanto se refere a um Estado terrorista, faz-se sempre referência aos USA e, nem de longe, apontam para o Estado cubano como sendo uma entidade deste gênero.

Bem, não sei se o amigo sabe, mas, existem “exilados” na ilha de Cuba setenta e sete terroristas procurados internacionalmente e que, além de viverem na ilha castrense, quando lá chegaram, foram recepcionados como heróis, segundo Andres Oppenheimer, em sua coluna no jornal El Nuevo Herold em 16 de maio de 2005.

Ou então, citemos o caso do irmão do perpétuo governante de Cuba, o general Raul Castro, chefe da inteligência e das forças armadas cubanas, que desde a década de 80 se encontra mancomunado com o Cartel de Medellín dando-lhes apoio logístico no tráfico internacional de cocaína, segundo Carlos Alberto Montaner, do jornal ABC da Espanha. E mais: esse fofinho é o candidato único a sucessão de Fidel quando, “democraticamente”, vier a falecer.

Bem, meus caros, se essas denúncias não qualificam o Estado caribenho como um Estado terrorista, vejamos então essa outra, feita por Graça Salgueiro em seu site [http://notalatina.blogspot.com], onde a mesma aponta para as atitudes despóticas tomadas pela governança cubana contra os jovens que não mais crêem nas falácias revolucionárias do tiranete barbudo, que está realizando um programa batizado com o nome de OPERAÇÃO CONTENÇÃO, que visa conte-los, os jovens e adolescentes descrentes do projeto político imposto à ilha desde o fim da década de 50 do século passado.

Segundo Salgueiro: “O regime castrista, que atravessa a pior fase da situação política e social de sua história, ataca o setor populacional que mais teme: os adolescentes e jovens cubanos, totalmente decrentes e refratários por natureza a ondas e rebeldias, são as vítimas a neutralizar. A continuidade da denunciada operação Contenção e o incremento de uma população penal jovem e adolescente na prisão Combinado del Este, de Havana, é preocupante. Enquanto o regime sinta-se impune, continuará a prática da ‘limpeza social’".

Bem, é um sujeito como esse que tem a cara de pau de reunir os funcionários públicos de sua ilha para assim coordenar uma marcha contra o terrorismo estadunidense. É um sujeito como esse que tem a desfaçatez de defender os direitos humanos para todas as nações do mundo e que é incapaz de fazer os mesmos direitos valerem em seu próprio quintal.

E pior! Tem gente que deseja um regime similar a esse em nosso país e chama a isso de “democracia”. É fato que a palavra democracia ganhou uma elasticidade inimaginada pelos gregos, mas afirmar que o regime cubano seria uma “democracia popular” (um eufemismo deveras infeliz), não é apenas um insulto a inteligência, mas uma ofensa a integridade humana que tanto esses pseudo-humanistas dizem defender.

Última modificação em Segunda, 09 Setembro 2013 20:06
Dartagnan Zanela

Professor e ensaísta. Autor dos livros Sofia Perennis, O Ponto Arquimédico, A Boa Luta, In Foro Conscientiae e Nas Mãos de Cronos – ensaios sociológicos.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.