Sex11152019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

15 Mai 2005

Democracia de Geisel a Lula

Escrito por 

Sei que, para Lula, a democracia é mais do que relativa, não é um valor em si e vem bem depois da ideologia.

Em maio de 1977, um mês após haver decretado o fechamento do Congresso Nacional, o presidente Ernesto Geisel concedeu uma entrevista a jornalistas franceses. Inquirido sobre as condições de liberdade política existentes no país, Geisel afirmou que no Brasil havia uma "democracia relativa" e que ela não podia ser semelhante às democracias francesa ou inglesa porque os níveis de desenvolvimento social e econômico eram diferentes.

             O conceito emitido pelo "alemão" colou em sua biografia de modo irreparável e assim permaneceu até hoje. Para ele, democracia era algo relativo e, obviamente, se relativo era, só o podia ser em relação a um absoluto qualquer, no caso a convicção do titular do poder sobre o estágio do desenvolvimento social e econômico da sociedade onde o exerce.

            Pois eis que coube ao talento do presidente Lula referendar a imprecisa definição emitida pelo penúltimo presidente do regime militar. Indagado sobre  a ausência de qualquer referência à democracia na declaração final da Cúpula América do Sul-Países Árabes, Lula afirmou que seria "falta de democracia" tentar definir o conceito do termo em uma reunião plural como a realizada na capital federal, acrescentando que o documento continha o que era possível. "Ele é um resultado do nível de compreensão que nós produzimos nesse encontro", concluiu.

            "É nisso que dá, andar em más companhias", talvez diga o leitor. Mas eu fico pensando que sentido tem a democracia para Lula se, ao longo de dois anos e meio de governo tem privilegiado tais parceiros e esteve em visita a quase todos os ditadores do planeta. Ainda no mês passado, em encontro com Chávez e Uribe, afirmou em favor do venezuelano: "Não aceitamos difamação de companheiros, não aceitamos difamação contra companheiros". E arrematou: “Tem muita gente falando mal de nós pelo mundo. Portanto, é importante que tenhamos um dos sócios nos defendendo”, garantiu. Emocionado, Chávez agradeceu: "Obrigado por tuas palavras de solidariedade.  Às vezes dói, sabe?"

            Sei. Sei que a democracia, para Lula é mais do que relativa, não é um valor em si, e vem bem depois da ideologia. Sei que a Cúpula foi um fracasso sob todos os aspectos e sei que Kirchner acabou sendo o mais prudente de todos ao pegar o boné e ir embora antes do desastrado documento final.

Última modificação em Segunda, 09 Setembro 2013 20:14
Percival Puggina

O Prof. Percival Puggina formou-se em arquitetura pela UFRGS em 1968 e atuou durante 17 anos como técnico e coordenador de projetos do grupo Montreal Engenharia e da Internacional de Engenharia AS. Em 1985 começou a se dedicar a atividades políticas. Preocupado com questões doutrinárias, criou e preside, desde 1996, a Fundação Tarso Dutra de Estudos Políticos e Administração Pública, órgão do PP/RS. Faz parte do diretório metropolitano do partido, de cuja executiva é 1º Vice-presidente, e é membro do diretório e da executiva estadual do PP e integra o diretório nacional.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.