Qui10222020

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

17 Out 2020

O MINISTRO, O ONGUEIRO E O TRAFICANTE

Escrito por 

Aqueles oposicionistas não têm escrúpulos, não têm sentimentos, não têm limites e, no geral, são bem iguais aos chefões que dirigem as muitas facções criminosas existentes no País.

 

A gente sabe que no Brasil, com a vinda da “Nova Ordem”, surgiu também uma oposição doentia, psicótica e irada que, tendo se convencido de que não teria jamais força para golpear em definitivo o governo eleito em 2018, passou a trabalhar para destruir a Nação internamente e para desmoralizá-la no exterior visando a voltar ao poder. Aqueles oposicionistas não têm escrúpulos, não têm sentimentos, não têm limites e, no geral, são bem iguais aos chefões que dirigem as muitas facções criminosas existentes no País.

As tropas oposicionistas de hoje se comportam exatamente como agem as muitas sociedades do crime organizado, quer as maiores e mais ferozes (CV, PCC, TC, ADA) quer as menores que controlam diretamente o tráfico nos guetos e nos morros. Em ambas atuam pessoas que não querem ceder um milímetro dos territórios dominados, que não querem negociar coisa alguma ou abrir mão dos seus ganhos e privilégios, não admitem que se discutam seus métodos ruinosos ou ultrapassados, nem muito menos que o Brasil tenha o direito de não as querer mais.

Dito assim pode parecer um exagero, mormente numa sociedade cujo desenvolvimento social e econômico não permitiu que o povo se conscientizasse de seu próprio poder porque até hoje não lhe foi permitido ter o mínimo necessário para viver com dignidade e avaliar as coisas com clareza, porém as consequências que resultam deste cenário são tão surpreendentes, terríveis e apavorantes que podem ser percebidas, no dia a dia, por qualquer do povo.

Quem neste País, por mais alienado que seja não se assustou ao ver um Ministro da Suprema Corte aliado e alinhado com os interesses de um dos mais perigosos Chefões da mais temida Organização Criminosa, o famigerado PCC? Quem dorme tranquilo sabendo que o tal Ministro e vários de seus pares, que integram a corrente dos “Mandarins Solta Bandidos” do STF, trabalham diuturnamente para manter impunes o crime organizado e a corrupção que desgraçou nossa Nação? Quem neste País pode trabalhar em paz vendo o que diariamente fazem as duas casas do Congresso Nacional tentando derrubar o governo eleito em 2018? Vejam como esses maus brasileiros procedem; atentem para seus métodos e para suas práticas; dimensionem sua petulância e ousadia tanto quanto as acintosas traições por eles perpetradas aqui e no exterior. Suas atitudes e procedimentos são ou não semelhantes aos dos líderes das associações narcotraficantes?

A única diferença que encontro entre a turma dos vermelhos e a dos facínoras das OCRIM's é que o campo de atuação destas últimas é, por assim dizer, mais restrito, se restringe ao negócio do tráfico e o de suas ramificações, enquanto que o campo da atual oposição ou da esquerda delinquente é mais abrangente atinge todos os segmentos da sociedade, principalmente a economia, a saúde, a educação e, evidentemente, a segurança publica, quiçá a segurança nacional.

Bem sei que deixo muita gente chocada quando prossigo nestas sendas para concluir que considero muito mais nocivos e perigosos para a Nação Verde e Amarela os FHC’s, os Lulas e as Dilmas da vida, do que o conhecido malfeitor “Fernandinho Beira Mar”, por exemplo, ou do que este tal assassino cruel, chamado de não sei o quê do RAP, que o Mandarim do esquizofrênico Collor, Marco Aurélio de Mello, sem pudor ou cerimônia alguma, botou na rua, além de premeditar sua fuga do País e isto tudo, diga-se com decepção e revolta, após decorrerem umas poucas horas que este povão sofrido pagou, pela milionésima vez, sua polpuda remuneração acrescida dos régios penduricalhos, com os quais sua excelência sangra mensalmente os cofres públicos. Por conta de uma tremenda reação da opinião pública o STF limpou a sujeira em seguida, mandando prender o facínora novamente, mas isto vai nos custar rios de dinheiro.

Neste mesmo diapasão falo em relação à oposição à “Nova Ordem” e aos que apoiam e prestigiam aquela gente sem patriotismo algum, homiziada nos Tribunais Superiores, no Congresso Nacional, na máquina governamental, nas famigeradas ONG's ou nas Associações da vermelhada que não querem conversar, ouvir e muito menos contribuir de alguma forma, sem quem antes lhe seja restabelecido o direito de voltar a roubar impunemente do erário público ou quanto mais não seja, de ver restabelecidas suas bocas e bocarras, concedidas nas três últimas décadas.

Vou dar um exemplo. Ainda outro dia assisti a um vídeo que transita no território livre da rede mundial de computadores, no qual um antigo “petralha” de Lula e Dilma – um “ongueiro” desses, que mamou muito nos cofres da área do meio ambiente, como assecla da “ET da Floresta”, Marina Silva, hoje mais conhecida como mulher e sócia de um dos maiores traficantes de madeira da Amazônia - ofendeu, menosprezou e tentou humilhar o elegante e competente Ministro Ricardo Salles do Meio Ambiente que veio para por fim a 30 anos de incompetência, de atraso e de integrismo por parte desta canalha de nefários ecologistas, que Bolsonaro varreu do Planalto e que, por conta de sua impecável atuação, um senador com cara e voz de baitola e o abominável PCCSOL tentaram sordidamente “impichar”. Quebraram a cara!

Enquanto o jovem e brilhante Ministro de Bolsonaro explicava, com cortesia, o que sua pasta estava realizando, justificando com humildade o quanto se estava evoluindo nesta área porque imprescindível para cumprir a lei e atender os novos tempos, o colérico “onguista”, João Capobianco, ao ver desmascaradas suas farsas gesticulava e se debatia como um possesso, chamando desrespeitosamente o Ministro de “garotão ignorante” e daí para baixo. Tanto fez que a jornalista mediadora interveio pedindo calma e, então, o Ministro acabou por sentenciar: “deixa ficar, quando sobrar algum dinheirinho para suas Ong’s ou para suas Consultorias” esses xiitas se calam. Tudo para aquela gente é grana e por grana muitos já morreram nas mãos dos “petralhas” ou dos vermelhos em geral.

Pois é isto mesmo. Com exceção dos poucos, muito poucos mesmo, que criticam para colaborar ou para discutir o Brasil, a oposição atual procede tal qual a bandidagem de um modo geral, briga para ver restabelecidas suas “bocas no poder”, luta entre si para melhor a posição de seus postos de controle de onde, por muitas décadas, mantiveram seus domínios, sobretudo nas áreas da saúde, dos direitos humanos, do meio ambiente, da educação, da infraestrutura, da segurança pública etc.

A rigor, depois que desgraçaram a vida de 25 milhões de brasileiros, realmente pouco se lhe dá quantos mais serão ainda os atingidos ou os infelicitados. Penso que se a trupe da oposição à “Nova Ordem” abandonasse seus nichos e bunkers no cenário nacional para chefiar diretamente as associações do crime organizado seria ela muito mais perversa e letal e talvez nem mesmos as migalhas que os traficantes costumam atirar para os que os cercam seriam ainda distribuídas. No fundo, como ensina o velho ditado, esses ministros, esses “ongueiros” e esses traficantes do pedaço “tudo é farinha do mesmo saco”.

José Maurício de Barcellos

O Advogado José Mauricio de Barcellos, natural do Estado do Rio de Janeiro, tem 50 (cinquenta) anos de experiência profissional, com Mestrado na Cadeira de Direito Privado, na Faculdade Nacional de Direito do Rio de Janeiro. É professor, com Licenciatura Plena nas cadeiras de Direito e Legislação, Administração e Controle, Organização e Técnica Comercial, pela antiga Universidade do Estado da Guanabara, tendo concluído vários cursos de extensão ou de aperfeiçoamento, na Fundação Getúlio Vargas e em outras Universidades.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.