Qui10222020

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

08 Out 2020

EM QUEM VOTAR NESTAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Escrito por 

São prefeitos e vereadores os responsáveis por dar capilaridade aos projetos partidários e os de seus candidatos no nível estadual e federal.

 

Meus amigos.

Sempre reagi mal à prática acadêmica da citação dos autores de pensamentos importantes, adotados pela humanidade como referência.

Fica uma sensação de esnobismo, de manifestação de cultura, do meu ponto de vista.

Penso que o que deve ser ressaltado é o que foi dito ou foi escrito.

O que foi dito ou escrito não é relevante porque foi o fulano ou o cicrano que falou ou escreveu.

Na verdade, ele se tornou importante exatamente por ter falado ou escrito o que se tornou referência.

Tenho consciência que minha posição discrepa daquela da esmagadora maioria dos que tratam do tema, mas recorra a ela, nesse texto, porque vou me valer dela para justificar o presente artigo.

É que tomei conhecimento de um texto, a mim enviado por WhatsApp, relacionado às próximas eleições municipais, que considerei exatamente o que penso a respeito.

Lamento imensamente não ter tido a competência de produzi-lo, mas como ele me chegou sem definição de autoria, não podendo identificar autor e fonte, decidi difundi-lo, mesmo assim, com base nas considerações feitas anteriormente.

Seria triste que, por não saber quem produziu reflexão tão apropriada, se perdesse a oportunidade de provocar intelectualmente aqueles que nos honram frequentando esse espaço.

Assim sendo, transcrevo a seguir as considerações desse autor iluminado que sugeriu os aspectos segundo os quais se deve avaliar a pertinência de atribuir nosso voto, nessas próximas eleições a esse ou aquele candidato.

Escreveu ele:

“Senhores CANDIDATOS e CANDIDATAS:
QUEREM O MEU VOTO???
Que bom, estou a procura de um bom candidato para votar.
Qual é a sua formação acadêmica?
Tem experiência em administração?
Você possui renda suficiente para não precisar da política para sobreviver?
Você sabe qual a função de um vereador e de um prefeito?
Já dirigiu alguma empresa?
Tem noção de receitas e despesas?
Qual é o seu grau de experiência em humanas e exatas?
Qual é o seu nível de conhecimento da Constituição Federal?
Conhece a Lei Orgânica do Município?
E o Regimento Interno da Câmara Municipal?? E a LRF??
Tem autonomia para votar em conformidade com as reais necessidades do município ou está subordinado aos interesses partidários?
Você respeita o fato do Estado ser laíco?
Ah, tem ficha limpa??

Complemento as considerações do autor desconhecido, lembrando a importância dessas eleições municipais, em razão do contexto político em que estamos inseridos desde as últimas eleições de 2018.

São prefeitos e vereadores os responsáveis por dar capilaridade aos projetos partidários e os de seus candidatos no nível estadual e federal.

Em 2022, estaremos decidindo quais serão os futuros deputados estaduais e federais, os novos senadores (1/3 deles), governadores e o Presidente da República.

Os candidatos de então precisarão e muito da atuação de seus correligionários de partido nos municípios.

Aquele candidato que tem nesse ou naquele município prefeito e maioria de vereadores de seu partido levará vantagem substancial sobre seus adversários.

É indispensável que se conheça como se dá a competição política no nível municipal.

São criadas verdadeiras teias de auxiliares (cabos eleitorais) que, por motivações diversas, se dedicam obstinadamente para contribuir para a êxito do seu “amigo”.

É preciso que se compreenda que os eleitores estão no município, seja para uma eleição municipal, estadual ou federal. É o munícipe que se manifesta, votando, em todas as situações.

A despeito de toda a parafernália de meios eletrônicos hoje disponível seja na mídia oficial, em programas jornalísticos, ou debates, ou propagandas oficiais, ainda que em um quadro anômalo de pandemia, com todas as suas decorrências, é o contato direto entre amigos, vizinhos, colegas de trabalho, líderes locais que tende a definir o resultado de um pleito municipal, resultado esse que tende a interferir decisivamente nos pleitos nos demais níveis do poder político.

É com essa visão que se deve conduzir a seleção dos candidatos. Um olho focado no indivíduo, sua capacidade de produzir resultados positivos que contribuam diretamente para a solução dos problemas da sua coletividade local. Um olho focado no que irá desejar dele como protagonista indireto, mas relevante, do processo eleitoral em 2022.

A conquista de uma maioria significativa de prefeituras nessas próximas eleições por um determinado partido ou de partidos alinhados a uma determinada corrente político-ideológica se constituirá em vitória significativa para alavancar um resultado positivo em 2022.

Não se tenha a mínima dúvida que a esquerda tem absoluta consciência dessa realidade e estará (já está) mergulhada a se valer desse pleito municipal de olho em 2022.

Nunca uma eleição municipal foi tão importante para o futuro da nação brasileira.

Mario de Oliveira Seixas

Mario de Oliveira Seixas é General-de-Brigada, na reserva do Exército brasileiro. Realizou todos os cursos militares, nos níveis de graduação, mestrado e doutorado, assim como o Curso de Política, Estratégia e Alta Administração do Exército, o de mais elevado nível da carreira. É engenheiro de telecomunicações formado pelo Instituto Militar de Engenharia. No exterior, cursou o British Army Staff College (curso de Comando e Estado-Maior do Exército Britânico) e a Defence School of Language (curso da língua inglesa). Na PUC-Rio, especializou-se em Educação à Distância. Na FAAP, em São Paulo, realizou o Curso de MBA em Excelência Gerencial, com Ênfase na Gestão Pública. De 2005 à 2009 foi o Secretário Municipal de Cooperação nos Assuntos de Segurança Pública da Cidade de Campinas - SP. De 2009 a 2018 foi Superintendente Geral da entidade Movimento Vida Melhor - MVM, em Campinas - SP, cujo propósito é retirar das ruas da cidade adolescentes em risco social.

Website.: www.rplib.com.br/
  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.