Qui04152021

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

25 Abr 2005

Lula em Gana

Escrito por 

O Brasil tem muitos motivos para que Lula peça desculpas.

O ex-metalúrgico, turista e presidente Lula, diz que suas viagens são necessárias porque política se faz olhando no olho e, por isso, foi a Gana. Usou traje típico, abraçou, beijou, sorriu e até chorou ao pedir desculpas pela escravidão e seus traumas. Pediu perdão aos herdeiros daqueles que vendiam seus irmãos ou desafetos de tribos inimigas para serem escravos, os mesmos que hoje, ditadores, escravizam seu próprio povo e não pedem desculpas a ninguém. O ministro da Cultura, Gilberto Gil, aquele que Chico Anysio imitava deitado em uma rede falando palavras desconexas, cantou em francês e também chorou. Comovente.

No Brasil, a organização de direitos humanos Human Rights Watch denunciou, em um de seus últimos relatórios, que existem “novas ameaças à liberdade de expressão no Brasil”. Também diz que as crianças são “vulneráveis a abusos no sistema judicial juvenil” e “os problemas de trabalho forçado e tráfico de seres humanos, assim como a violência rural e os conflitos de terra, têm como alvo os cidadãos mais pobres do país. Como no passado, os autores de abusos de direitos humanos gozam de impunidade na vasta maioria dos casos".

Já na América Latina, a pesquisa feita pela consultoria Economática nas sete maiores economias da região, revelou que a Venezuela de Chávez, amigo de Lula, é o país de maior índice de inflação – malditos EUA! -, seguida por - adivinhe!? -, Brasil, Argentina, Colômbia, México e Peru. O menor índice em 2004 foi do Chile, que registrou taxa de 2,43%. Mas o Chile não pode ser visto como exemplo de nada porque foi ditadura de Pinochet. Se fosse outro ditadorzinho de esquerda a comparação com o mundo desenvolvido seria inevitável.

Os EUA informaram que os brasileiros são o grupo que mais cresce em detenções na fronteira com o México. Em dois dias, 232 imigrantes ilegais brasileiros foram presos tentando entrar ilegalmente no país. Nos últimos cinco anos, houve crescimento de 1.665%, passando de menos de 500 para mais de 8.600 pessoas em 2004. Mas logo agora que temos um “País de todos”? Logo agora, agora que “nunca se viu na história desse País” tanto crescimento econômico?

Gilberto Gil certa vez disse no Rio que Lula não tinha mesmo plano de governo! “Nos acusaram de chegar ao governo sem planejar nada. Ainda que isso não seja totalmente verdade, é parcialmente verdade. E isso é bom. Porque não chegamos com uma visão fechada, verticalizada sobre as coisas. Pudemos aprender o que é o Brasil e o que é governar este país na sua contemporaneidade. Não foi diferente com outras áreas. Tivemos um aprendizado grande”. Tire suas próprias conclusões depois de tal pronunciamento em toda sua contemporaneidade...

O Brasil tem muitos motivos para que Lula peça desculpas.

Desculpas por ter se aliado a ACM, Sarney e Quércia. Desculpas pela compra do Airbus europeu por US$ 56,7 milhões, e não do brasileiro ERJ-190 da Embraer de US$ 30 milhões. Pelo spread bancário no Brasil ser de 40%, enquanto no resto do mundo é de 10%. Pelos juros do Copom de 19,5% ao ano. Pelo açúcar, margarina e macarrão terem imposto de até 27% e uma geladeira 51%. Por um dos mais altos impostos do planeta, gastos estratosféricos, falta de investimento e o fracasso do Fome Zero e do Primeiro Emprego. Desculpas porque o Brasil continua em sexto lugar entre os países de pior distribuição de renda e conta com 17 milhões de indigentes, o equivalente a população de Moçambique. Desculpas porque a cada dez brasileiros, dois não têm acesso a água e seis não têm saneamento básico. Pelo Brasil ter caído de 12º para 15º na economia mundial. Desculpas por ter comprado, na época de sua posse, mobiliário novo para a Presidência da República: 70 cestas de lixo no valor de R$ 460, cadeiras de R$ 1.620 a unidade, mesas em madeira freijó de R$ 4.400 cada, dois porta-fones para gabinete de R$ 1.200 cada e 10 automóveis Marea para a segurança de seus familiares, no total de R$ 1,2 milhão. Desculpas porque temos menos jovens entre 18 e 24 anos cursando universidades do que o país mais pobre da América do Sul, a Bolívia. Pela “reforma tributária” a respeito da qual Ives Gandra Martins protestou: “A reforma é um desastre, foi feita só para fazer caixa. Quem paga a conta é o assalariado, não o rico” e que o PT defendeu mentindo para o povo dizendo que não causaria aumento de impostos, mas faz com que o povo trabalhe até o mês de maio para pagar todos impostos e contribuições. Desculpas pelo Brasil possuir apenas 11,7% de residências com computador e 65% onde as pessoas nunca manusearam um pc, pelos dez milhões de empregos prometidos em campanha e muito, muito mais!

Mas enquanto isso, Lula-lá, abraçando, beijando, sorrindo e chorando, em Gana...

André Arruda Plácido – O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Relações Públicas esperando as desculpas...

Última modificação em Segunda, 09 Setembro 2013 20:21
André Plácido

André Arruda Plácido nasceu em Pirajuí (SP) e é cidadão português. Reside em Londrina (PR) onde graduou-se em Relações Públicas e Teologia. Em Bauru (SP) concluiu o curso de Jornalismo. Fez especialização em Comunicação e Liderança em Missões Mundiais pelo Haggai Institute em Cingapura. É professor de comunicação, poeta, radialista, cronista e fotógrafo.

Website.: fotologue.jp/andrearrudaplacido
  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.