Ter07142020

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

02 Jan 2020

AS REDES FALAM MAIS QUE O HOMEM DA COBRA

Escrito por 

 

 

 

As redes sociais são, ao seu modo, uma baita ferramenta. Por meio delas conectamo-nos com outras pessoas, temos acesso a inúmeras informações, expressamos o que pensamos e sentimos e, inclusive, temos a possibilidade de fazer negócios através das ditas cujas.

 

As redes sociais são, ao seu modo, uma baita ferramenta. Por meio delas conectamo-nos com outras pessoas, temos acesso a inúmeras informações, expressamos o que pensamos e sentimos e, inclusive, temos a possibilidade de fazer negócios através das ditas cujas.

De certo modo, elas também são uma espécie de diário de seus usuários. Não íntimo, é claro. Público. Mas, em alguns casos, esses diários contém muitos relatos picantes das mais sórdidas intimidades.

Dum jeito ou doutro, o perfil duma pessoa numa rede social nos apresenta alguns elementos que podem nos ajudar a conhecê-la razoavelmente bem. Ao menos alguns aspectos de sua personalidade, de seus gostos e desgostos.

Tendo isso em vista, penso que seria mui interessante que procurássemos acessar o perfil de nossas autoridades públicas nas redes sociais para vermos quais são as ações das quais eles se ufanam e se orgulham, quais seriam suas ideias e preocupações, seus pontos de vista e visão de mundo.

E não me refiro, aqui, exclusivamente, aos perfis de deputados, senadores e demais grandes caciques. Não. Refiro-me, especificamente, aos pequenos chefes; prefeitos, secretários e, é claro, vereadores.

Vejam, digo isso não para vermos se eles se metem em treta ou não. Por favor, não é disso que estou falando. A treta faz parte da vida. Simples assim. O “x” da questão é sabermos pelo que esses caboclos costumam tretar e, mais do que isso, a que tipo de atos, feitos e desfeitos a atenção desses caboclos está focada.

Sim, é obvio que não iremos conhecer profundamente uma pessoa somente com base naquilo que ela publica numa rede social. Mas já é algum começo. E um começo bem interessante, tendo em vista que, não raro, o que veremos será apenas e tão somente a digitalizada sombra dos seus umbigos egolátricos que, e muitíssimos casos, é a única coisa que há. Infelizmente.

Quem tentar e vasculhar verá.

 

 

 

Dartagnan Zanela

Professor e ensaísta. Autor dos livros Sofia Perennis, O Ponto Arquimédico, A Boa Luta, In Foro Conscientiae e Nas Mãos de Cronos – ensaios sociológicos.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.