Ter07142020

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

29 Dez 2019

O COMUNISMO ESTÁ NA CABEÇA DOS DOIDOS E DOS MINISTROS

Escrito por 

 

 

 

A matéria da FSP[*] comenta um artigo do Ministro das Rel. Ext., Ernesto Araújo, sobre uma nova ameaça comunista na Am. Latina, nova no sentido temporal e, especialmente, no seu tipo, pois diferiria daquela clássica, da luta armada, calcada no método da “luta de classes”.

 

O futuro é um mundo desencantado, imperfeito, colorido, multinacional e com muito capital, cada vez melhor, mas com muita gente reclamando. Teremos mais psicanalistas e terapeutas porque sobrará dinheiro. A felicidade estará sempre ali, ao alcance de um pílula, uma boa comédia ou intestino funcionando regularmente, não importa. Sempre teremos doidos nos manicômios ou ministérios porque eleitores demandam pela novidade bizarra que traga sensação de mudança. Nosso bravo novo mundo é mais teatral e a fofoca das redes sociais é como aquela velha que não teme a modernidade. Tudo fica igual com roupagem nova.

A matéria da FSP[*] comenta um artigo do Ministro das Rel. Ext., Ernesto Araújo, sobre uma nova ameaça comunista na Am. Latina, nova no sentido temporal e, especialmente, no seu tipo, pois diferiria daquela clássica, da luta armada, calcada no método da “luta de classes”.

Esta nova ameaça seria pela via ideológica, cultural, “gramscista” como gostam de dizer, imporia o comunismo através do “politicamente correto”, da ideologia de gênero, do ambientalismo e do anti-nacionalismo. Segundo o próprio, a reação contra isso, que chama de “globalismo” já estaria ocorrento em governos como o do Reino Unido, Hungria, Polônia, EUA, alguns países africanos etc. Mais detalhes, na matéria linkada abaixo, agora vamos ao que importa:

É bobagem chamar uma coisa, o comunismo, por algo que ele não é. O que ele descreve pode ser chamado de um “governo progressista”, estatismo avançado etc., mas se tem a propriedade privada dos meios de produção garantida NÃO É comunismo. Chame do que quiser, chame de “sistema demoníaco” se tu for da escola da Damares, não importa, mas comunismo tem um conceito, historicamente dado, e não vai ser essa relativização olavética pra se encaixar numa teoria paranoica que vai mudar o que é por outra coisa.

Os governos que estão reagindo a este estado de coisas que o Ministro atenta são de direita e não são uma palavra final, nem o “fim da história”, dos quais não pode haver uma guinada novamente para partidos de esquerda ou centro-esquerda. São mudanças conjunturais, apenas isso. Trump pode perder, Boris Johnson pode perder futuramente, embora tenha se saído bem recentemente, nada é permanente, nada veio para ficar e a oposição não representa o fim de tudo isso, pois não são partidos revolucionários. Mesmo os partidos de esquerda latino-americanos na sua maioria não são mais revolucionários, são máquinas de hipertrofia dos gastos públicos e corrupção, mas não de revolução armada e instauração do partido único. Seu paradigma, melhor exemplificado, não está no Partido Comunista Soviético ou Chinês, mas no Partido Revolucionário Institucional, o PRI mexicano, que ficou 70 anos no poder e é um exemplo de como uma estrutura corrupta apodrece o estado e se mantém no poder. Este é o exemplo deles e não tem nada a ver com o comunismo, exceto por algumas características retóricas. Veja que o melhor exemplo recente de comunismo latino-americano foi o chavismo e não tem uma estabilidade como os outros partidos tradicionais de esquerda.

Falar em anti-nacionalismo pressupõe que você saiba o que é uma nação e como esta se constitui. Por mais que seja um anti-pluralista, adepto de uma uniformidade cultural, quando mais capitalista é uma sociedade, mais aberta e misturada é por uma simples razão: ela atrai imigrantes e gera informação que é quase sinônimo de criatividade e dissensos. Tome os EUA como exemplo, onde você acha que vai encontrar uma sociedade mais capitalista, em Nova York ou no Nebraska? Claro NYC e seu estado, assim como a Costa Leste e a Costa Oeste, bem como extensas áreas do Sunbelt (o sul moderno e rico) têm o famosos WASP (White, Anglo-Saxan, Puritan) como espécie tão difícil de encontrar quanto o Tapir Malaio. O mundo contemporâneo é cada vez mais uma mixórdia e não adianta chorar, queira ou não, nós vamos nos misturar e ficar cada vez mais impuros. E quer saber? Acho que isto pode aliviar certas tensões políticas anacrônicas baseadas no racialismo.

Movimentos culturalistas, identitários podem ser anti-capitalistas na retórica, contra a “exploração”, o “racismo institucionalizado”, o “patriarcado” e outras bobagens, mas na prática, eles são absorvidos pelo capitalismo. Não são um exemplo do que um liberal de boa cepa chamaria de capitalista, mas eles têm elementos que são tomaddos como meras mercadorais. Veja, p.ex, a revista Raça e vários produtos para negros e pardos, são meras mercadorias, vários produtos para um imenso público consumidor gay, que geralmente tem mais dinheiro para gastar que casais de héteros com filhos, veja a infinidade de produtos “ecologicamente corretos” que às vezes não passam de embuste… Não importa, vende, tá dentro! Dizer que tudo isto vai contra o capitalismo, uma vez que são estragégias comunistas, é coisa de burro.

Pode se dizer que tudo isso “não é o verdadeiro capitalismo”, mas daí eu te pergunto, onde e quando houve este verdadeiro capitalismo 100% liberal? Aprendam, que não existe pureza, todos somos impuros e os sistemas que relfetem nossas sociedades também são. Temos que aprender a entender os fenômenos sociais em graus e não apenas em tipos puros conceituais. Ou é isto ou não entendemos a realidade cientificamente, mas apenas como religiosos fantasiosos procurando fantasmas e unicórnios onde só existem mortais com suas imperfeições. Chamar atenção para as imperfeições dos sistemas não é assumir que não há o que fazer ou jogar a toalha, mas ser cético e consciente de que tudo pode mudar, mas gradualmente, com arestas que precisam ser limadas.

Com o tempo, as feministas radicais vão casar e ficar felizes da vida quando ganharem suas máquinas de lavar roupa e louça, bem como um jantar romântico, os gays ficarão felizes da vida com a adoção de filhos que os farão se sentir aceitos, pastores e quem sabe padres assumirão que são gays e viverão felizes para toda a eternidade, assim pensam… Ambientalistas forçarão a barra e teremos um catavento em cada telhado e composteira coletiva nos condomínios com crianças tendo aula de reciclagem na grade curricular; mais atores negros e pardos com bandidos nazistas apanhando feito joão-bobo, bonecos de super-heróis negros e barbies indígenas sendo vendidas a 500 reais nos shoppings. Todo mundo se sentirá valorizado e psicanalistas ganharão rios de dinheiro fazendo essas pessoas se auto-enganarem pondo seus terapeutas em quadros de família com avós, primos, irmãos e cachorros. E claro! Os cunhados, os malditos cunhados![**]

Enfim, todo mundo vai ficar feliz, vai ter trans pra todo lado, até na Igreja e a propriedade privada será preservada, mas o Ministro, a esta altura estará fazendo parte de alguma confraria teorizando sobre alguma área secreta controlado pelos maçons… No Acre, é óbvio!

 

 

 

Anselmo Heidrich

Professor de Geografia no Ensino Médio e Pré-Vestibular em S. Paulo. Formado pela UFRGS em 1987.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.