Seg12162019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

20 Jan 2019

OLHE PARA O MAPA E IGNORE O ASTRÓLOGO

Escrito por 

Agora, cá entre nós, só um COMPLETO IDIOTA irá querer isolar diplomática, econômica e politicamente países como CHINA e Índia. Na verdade, uma vez tentado, quem se isola é o próprio idiota.

 

A anamorfose acima retrata os países do globo de acordo com sua população, i.e., quanto maior for, maior a área ocupada no mapa. Notem o evidente gigantismo asiático…

Agora, cá entre nós, só um COMPLETO IDIOTA irá querer isolar diplomática, econômica e politicamente países como CHINA e Índia. Na verdade, uma vez tentado, quem se isola é o próprio idiota.

Não precisa se concordar com um regime ditatorial, mas querer que um país com população gigantesca, economia pujante e gasto militar crescente padeça é assinar o atestado de morte de 1/5 da população mundial e, por extensão, da própria economia brasileira.

Se há alguma chance desta ditadura deixar de existir no longo prazo será através da comunicação e comércio internacional, não através de ligações carnais com uma potência exclusiva, a saber, os EUA.

Acho que se o Brasil quiser mesmo pensar grande tem que aprender a jogar o Great Game e isto inclui saber se relacionar com os grandes players. O preconceito contra a China, esta “sinofobia” só revela o comodismo e mofo cerebral de um macaco nu que já foi astrólogo e agora usa as vestes do fanatismo ideológico para esconder suas vergonhas de paranoide.

Adotar um sistema de vigilância em aeroportos não nos exime de identificar o mesmo e fazer, inclusive, tecnologia reversa. Na verdade, isto é só a porta de entrada para investimentos de dezenas de bilhões de dólares em VÁRIAS áreas.

E se quisermos evitar que o gigante asiático invista em decrépitos regimes comunistas, como o da Venezuela, nós temos que assumir a hegemonia no subcontinente aprendendo a nos relacionar e interagir sem ser infantil ao ponto de ouvir um maluco no YouTube e ignorar conselheiros e estrategistas que conhecem a China de perto.

Olhe novamente para o mapa abaixo e diga se você quer ficar fora desse mundo e ser excluído ao ponto de se tornar um pária internacional insignificante abaixo do cu do cachorro indo pairar na cauda que mais parece a Península Antártica.

Acho que não.

Então, larguem essas “dorgas” e leiam sobre quem já comercializa com a China, como países africanos que ostentaram taxas de crescimento do PIB bastante positivas desde o ano passado.

Eu temia, sinceramente, que o Brasil se tornasse um antro de fanáticos pulando de pólo em pólo como uma bolinha jogada em uma máquina de Pinball. Mas parece que me equivoquei — ainda bem — e algum capitão tomou a carta nas próprias mãos.

Aproveitemos esta cisma entre Donald J. Trump e Xi Jinping e não nos deixemos enganar que por trás desse purismo todo, o que existe é uma guerra comercial que vai além do interesse de empresas, mas engloba estados-nações em uma corrida tecnológica.

Isto não me leva a baixar a guarda para a possibilidade de infiltração ou espionagem, mas o que vale para cuidados com Pequim, também vale para Washington.

E terceiros podem tirar vantagens de conflitos entre dois contendores.

Anselmo Heidrich

Professor de Geografia no Ensino Médio e Pré-Vestibular em S. Paulo. Formado pela UFRGS em 1987.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.