Ter12112018

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

27 Set 2018

VOTO ÚTIL

Escrito por 

 

 

 

Caminhamos para a polarização da campanha entre direita e esquerda, com chances reais de vitória para Bolsonaro no primeiro turno. Considerando os votos válidos, ele está a menos de dez pontos disto. Para tanto, o voto útil será decisivo.

 

Depois do atentado contra Bolsonaro, todos institutos de pesquisa apontaram na mesma direção, ou seja, o crescimento de sua intenção de votos, distanciado ainda mais dos adversários. Do outro lado, Ciro, Alckmin e Marina passaram a receber a companhia de Haddad, finalmente escolhido como candidato oficial pelo PT diante da impugnação de Lula.

O momento de Bolsonaro coincidiu com o impulso de Haddad, que já vinha com crescimento consistente nas pesquisas anteriores. O petista pontuava, ainda sem campanha, perto do pelotão intermediário. Isto era um indicativo de que o apoio de Lula poderia catapultá-lo para um segundo lugar isolado – algo que já começa a tomar forma.

Isto prejudica Alckmin, que segue estagnado, refém de uma estratégia equivocada desde o começo da campanha. O tucano ainda não acertou o tom. Parece não ter captado o sentimento de mudança do eleitor. Seu discurso é baseado na razão, em uma campanha marcada pelo desejo de renovação. Partiu para o ataque a Bolsonaro, que possui percentual alto de votos consolidados, ao invés de buscar aqueles que hoje repousam no colo de Amoêdo, Meirelles e Álvaro.

O crescimento de Haddad, associado a estagnação de Alckmin, impulsiona o surgimento do fenômeno do voto útil antipetista em Bolsonaro. Eleitores que até então sentiam-se propensos a votar com o centro, mas que desejam evitar a volta do petismo a qualquer custo, tem migrado aos poucos para a candidatura do capitão. Um movimento que tem por objetivo fazer com que a vitória chegue ainda no primeiro turno.

Isto faz sentido para esta parcela do eleitorado diante do embate duro previsto para o segundo turno, que colocaria frente a frente Bolsonaro e Haddad. A disputa seria acirrada, com a classe política em peso apoiando o candidato petista, uma vez que conhecem seu lugar no jogo em um governo do PT. Apoiaram Lula, Dilma e estariam prontos para aderir a Haddad. Com Bolsonaro, a classe política, que prefere a acomodação conhecida, daria um salto na incerteza.

Apesar de Alckmin e Marina mostrarem musculatura em um eventual segundo turno, não conseguem tração para chegar até lá. Ciro, por sua vez, que ainda emite sinais de resistência, deve começar um processo de desidratação na medida que Haddad seguir crescendo com o apoio de Lula. Em breve o petista deve se isolar na vice liderança – algo que impulsionará ainda mais o processo de transferência de votos do centro em favor de Bolsonaro com vistas a evitar um segundo turno.

Caminhamos para a polarização da campanha entre direita e esquerda, com chances reais de vitória para Bolsonaro no primeiro turno. Considerando os votos válidos, ele está a menos de dez pontos disto. Para tanto, o voto útil será decisivo.

 

Fonte: “O Tempo”

 

 

 

Márcio Coimbra

Márcio Chalegre Coimbra, é advogado, sócio da Governale - Políticas Públicas e Relações Institucionais (www.governale.com.br). Habilitado em Direito Mercantil pela Unisinos. Professor de Direito Constitucional e Internacional do UniCEUB – Centro Universitário de Brasília. PIL pela Harvard Law School. MBA em Direito Econômico pela Fundação Getúlio Vargas. Especialista em Direito Internacional pela UFRGS. Vice-Presidente do Conil-Conselho Nacional dos Institutos Liberais pelo Distrito Federal. Sócio do IEE - Instituto de Estudos Empresariais. É editor do site Parlata (www.parlata.com.br) articulista semanal do site www.diegocasagrande.com.br e www.direito.com.br. Tem artigos e entrevistas publicadas em diversos sites nacionais e estrangeiros (www.urgente24.tv e www.hacer.org) e jornais brasileiros como Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Jornal de Brasília, Correio Braziliense, O Estado do Maranhão, Diário Catarinense, Gazeta do Paraná, O Tempo (MG), Hoje em Dia, Jornal do Tocantins, Correio da Paraíba e A Gazeta do Acre. É autor do livro “A Recuperação da Empresa: Regimes Jurídicos brasileiro e norte-americano”, Ed. Síntese - IOB Thomson (www.sintese.com).

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.