Sex05252018

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

24 Fev 2018

SUJEIRA DE UMBIGO FEDE PRA BURRO

Escrito por 

 

 

 

TODO CAIPORA QUE VIVE MUITO intensamente suas paixões ideológicas, pouco importa qual seja ela, em regra, não sabe o que é, e nem quer saber de ter, compaixão pelo próximo, especialmente se ele, o tal do próximo, tem a ousadia de não abraçar e se identificar com as utópicas sandices que adornam o seu umbigo sujo.

 

TODO CAIPORA QUE VIVE MUITO intensamente suas paixões ideológicas, pouco importa qual seja ela, em regra, não sabe o que é, e nem quer saber de ter, compaixão pelo próximo, especialmente se ele, o tal do próximo, tem a ousadia de não abraçar e se identificar com as utópicas sandices que adornam o seu umbigo sujo.

(ii)
NO FRIGIR DOS OVOS SOMOS todos uns tongos de marca maior mesmo. Vivemos feito bobos, acreditando e defendendo ideias idiotas, nos permitindo ser feitos de trochas por outros idiotas para, no fim, morrermos de maneira tão besta que, possivelmente, nos envergonharemos por toda a eternidade daquilo que tentamos ser nessa vida e, por ironia, nunca fomos.

(iii)
EXISTEM MUITAS COISAS RUINS no mundo, muitas, mas nada é pior nessa vida do que o “agora é tarde demais”.

(iv)
PRA RATO DA CORTE NÃO TENHO vocação, nem pra gato sarnento de Ipanema. Não. Sou bicho do mato, pé vermelho de coração, das esquecidas araucárias do Paraná. Por isso, não me venha com modismo, ideologias e parara. Não engulo isso, quero distância desses chouriços que apenas querem limitar a nossa capacidade de refletir e pensar.

(v)
TODA E QUALQUER AÇÃO, primeiro deve estar prefigurada no imaginário coletivo, na produção cultural e no sistema de educação que dão forma e conteúdo para ele. Por isso não nutro grandes ou pequeninas esperanças com relação ao futuro de nossa triste nação.

(vi)
O TREM É MAIS OU MENOS assim com todos aqueles que se entregam aos prazeres etílicos: quanto mais os copos vão sendo enchidos, mais os corpos ficam inchados, encharcados, tentando, insistentemente, enxuga-los.

(vii)
QUERER TER DIREITO A MUNDOS e fundos e não ser capaz de controlar os seus desejos - que muitas vezes mais parecem um saco sem fundo - é algo que as mentes bem pensantes, ao que tudo indica, não pararam pra dar a devida atenção. Digo isso porque, até onde sei, cidadania sem senso de sacrifício e obrigação para com os pares é o mesmo que um Estadista sem senso de dever e responsabilidade para com a posteridade. Ou seja: apenas uma bela porcaria leviana e narcisista. Apenas isso e nada mais.

 

 

 

Dartagnan Zanela

Professor e ensaísta. Autor dos livros Sofia Perennis, O Ponto Arquimédico, A Boa Luta, In Foro Conscientiae e Nas Mãos de Cronos – ensaios sociológicos.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.