Sáb10212017

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

26 Set 2017

ISSO, ISSO, ISSO, ISSO....

Escrito por 

Quando um sujeito exige o tal do respeito já está dando claríssimos sinais de não ser digno do dito cujo; do mesmo modo, todo o cretino que se esconde nas sombras do tal foro privilegiado não é merecedor de respeito algum.

 

(i) O passado de um homem fala muito a respeito dele. Muito. Mas muitíssimo mais que seu passado, o que ele faz com seus ditos e feitos pretéritos, conta-nos que tipo de pessoa ele pretende ser. Que tipo de pessoa ele, de fato, é.

(ii) Hoje, mais do que nunca, devemos ter muita atenção a tudo o que nos chega através dos meios de comunicação; de todos eles, pois, no quesito informação, uma boa dose de prudência e paciência, tal qual caldo de galinha, nunca fez mal a ninguém. Nunca mesmo.

(iii) Reencontrar velhos amigos, mesmo que o encontro seja apenas virtual, é sempre muito bom. Uma graça dos Céus.

(iv) Todos sabemos que na fala de muitos indivíduos, de muitíssimos, há uma não tão clara intenção ideológica, mas isso, em si, não é um complicador tão grave como muitos supõe. O enrosco, em meu ver, está no fato de que, independente do odor ideologizado que está presente na boca de Sicrano ou Beltrano, existe muitas vezes uma intenção deliberada de mentir, de falsear a realidade dos fatos que é muitíssimo mais danosa que uma mera crença ideológica de araque. E, tal encrenca, não se explica simplesmente analisando os pressupostos ideológicos deste ou daquele discurso, mas sim, confrontando-se o dito, ou o escrito, com os fatos mesmos para, desse modo, nos protegermos contra as artimanhas sombrias dos mais variados e sujos jogos linguísticos que infectam a sociedade contemporânea. Porém, todavia e, entretanto, não podemos nos esquecer que nós também devemos, necessariamente, ter uma sincera intenção de conhecer a realidade e não apenas de encobrir um engodo que repugnamos com uma farsa que simpatizamos, pois, se procedermos assim, estaremos apenas trocando seis por meia-dúzia.

(v) Quando um sujeito exige o tal do respeito já está dando claríssimos sinais de não ser digno do dito cujo; do mesmo modo, todo o cretino que se esconde nas sombras do tal foro privilegiado não é merecedor de respeito algum.

Dartagnan Zanela

Professor e ensaísta. Autor dos livros Sofia Perennis, O Ponto Arquimédico, A Boa Luta, In Foro Conscientiae e Nas Mãos de Cronos – ensaios sociológicos.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.