Imprimir esta página
13 Dez 2016

TEORIA DA COMPLEXIDADE E ORGANIZAÇÔES POLÍTICAS

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

 

 

 

Tomemos como exemplo um país, independente de área que pode ser extensa ou reduzida, mas cuja estrutura organizacional é bastante centralizada. A poder vigente só subsistirá neste caso com um elevado grau de autoritarismo. Mas, outro país que tenha área e população similares, porém com estrutura administrativa bastante descentralizada irá obter maior eficiência e, logicamente, legitimidade por seus atos e equipe no governo.

 

Aqui temos um texto muito, muito interessante falando sobre uma tal de Teoria da Complexidade (novidade para mim) que tenta provar como a organização, cada vez mais detalhada e complexa do mundo inviabiliza hierarquias e comandos unidirecionais de funcionar, mesmo quando amplamente legitimados, como é o caso da Democracia. Vale a penas ler. Por exemplo:

"Um escopo de trabalho apresentado pelo às da cibernética Ross Ashby nos anos 1950, base do trabalho de for Bar-Yam, sugere que as organizações começarão a fracassar quando as demandas impostas a elas excederem a complexidade de sua estrutura governamental. As demandas da estrutura não podem ser mais complexas do que a capacidade da(s) pessoa(s) que concentram o poder."

Tomemos como exemplo um país, independente de área que pode ser extensa ou reduzida, mas cuja estrutura organizacional é bastante centralizada. A poder vigente só subsistirá neste caso com um elevado grau de autoritarismo. Mas, outro país que tenha área e população similares, porém com estrutura administrativa bastante descentralizada irá obter maior eficiência e, logicamente, legitimidade por seus atos e equipe no governo.

Cf. A sociedade é muito complicada para ser guiada por um presidente, diz matemático http://motherboard.vice.com/pt_br/read/a-sociedade-e-complicada-demais-para-ter-um-presidente-sugere-a-matemtica via MOTHERBOARD Brasil

 

 

 

Anselmo Heidrich

Professor de Geografia no Ensino Médio e Pré-Vestibular em S. Paulo. Formado pela UFRGS em 1987.

Mais recentes de Anselmo Heidrich