Qui07192018

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

13 Out 2016

E O POVO PREFERIU OS DITOS "GOLPISTAS", "COXINHAS" E "FASCISTAS"

Escrito por 

Para completar o desastre, ficou mais do que provado: foram Michel Temer e o PMDB que proporcionaram a Dilma e ao PT o mandato presidencial de 2014. E não o contrário.

 

Enquanto rolava o processo de impeachment, a máquina publicitária petista saiu em busca de um discurso que, se não servisse para neutralizá-lo, ao menos fosse útil à manutenção da hegemonia do partido na cena política nacional.

Os chamados do povo às ruas para uma suposta resistência democrática não deram o resultado esperado. Aquele foi o primeiro indício da tragédia que sobreviria. Sobrou, então, o xingamento aos opositores do governo petista. Os adjetivos golpista, coxinha e fascista passaram a ser distribuídos como se argumentos fossem. E quem apoiasse o impeachment era imediatamente proclamado sócio, discípulo e seguidor de Eduardo Cunha. Imaginava o comando petista que essa estratégia produziria o objetivo desejado?

Suponho que sim, porque a alternativa era incompatível com a estrutura psicológica do partido. O PT vê a si mesmo como tabernáculo, como depositário do conhecimento e da revelação sobre o bem nacional. E vê seus líderes como profetas e sacerdotes incumbidos de guiar o povo nos caminhos da salvação. Não há como, em qualquer das duas perspectivas, penitenciar-se por erros e culpas. E, menos ainda, aceitar que qualquer outro que não um petista governe o país. Assim, os profetas e sacerdotes do partido, autocraticamente, decretaram a ilegitimidade do mandato do vice-presidente constitucional da República: "Fora Temer!". Deu para entender? Não? Pois é. Não dá mesmo. Ninguém entendeu, vieram as eleições municipais e, na campanha, o segundo indício da tragédia: os candidatos do PT escondiam a sigla, seus símbolos e cores.

Contados os votos, as legendas ditas golpistas foram eleitoralmente endossadas por 66,8 milhões de brasileiros enquanto o PT alcançou apenas 10% disso. Perdeu 10 milhões de votos. Enquanto o PSDB e o PMDB conquistaram 1855 prefeituras, o PT elegeu apenas 263, perdendo 400 que já tinha. Seu alter ego, o PCdoB,  saiu da eleição quase clandestino.

Para completar o desastre, ficou mais do que provado: foram Michel Temer e o PMDB que proporcionaram a Dilma e ao PT o mandato presidencial de 2014. E não o contrário.

 

 

 

 

Percival Puggina

O Prof. Percival Puggina formou-se em arquitetura pela UFRGS em 1968 e atuou durante 17 anos como técnico e coordenador de projetos do grupo Montreal Engenharia e da Internacional de Engenharia AS. Em 1985 começou a se dedicar a atividades políticas. Preocupado com questões doutrinárias, criou e preside, desde 1996, a Fundação Tarso Dutra de Estudos Políticos e Administração Pública, órgão do PP/RS. Faz parte do diretório metropolitano do partido, de cuja executiva é 1º Vice-presidente, e é membro do diretório e da executiva estadual do PP e integra o diretório nacional.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.