Imprimir esta página
01 Abr 2015

ENERGIA, GEOPOLÍTICA E O CAVALO DE TRÓIA

Escrito por 
Avalie este item
(0 votos)

Nesta geopolítica do novo milênio, o que está em cheque não é apenas território, mas o próprio estado de direito. A busca por "espaços" internos à sociedade começa pelo aparelhamento da máquina estatal e alteração gradativa dos marcos legais.

 

Divergências ideológicas a parte, isto é geopolítica. Os militares atuaram da mesma forma ao construírem Itaipu, binacional mas com o grosso do investimento brasileiro na fronteira com o Paraguai, atraindo assim o país central sul-americano para a órbita brasileira e isolando a Argentina no Cone Sul.

Com isto, o país se tornou dependente por muitos anos da política e economia brasileiras, tal qual se almeja fazer com a Bolívia.

O problema é o "bônus" ou "cavalos de Troia" que somos obrigados a engolir com a operação, haja vista que La Paz sob domínio do Movimento em Direção ao Socialismo (M.A.S.) de Evo Morales não pretende apenas ficar nisto, nesta troca de infra-estrutura por combustível.

E diferentemente da época dos militares em que o respeito à propriedade privada era sagrado, não é o que se vê com a disseminação de movimentos latino-americanos que pregam e atuam através da incorporação de bens alheios. Ou seja, há algo mais aí, além da geopolítica tradicional que é a disputa entre estados por áreas de influência.

Nesta geopolítica do novo milênio, o que está em cheque não é apenas território, mas o próprio estado de direito. A busca por "espaços" internos à sociedade começa pelo aparelhamento da máquina estatal e alteração gradativa dos marcos legais.

Temos que combater isto.

Cf. http://economia.estadao.com.br/noticias/mercados,brasil-vai-reformar-usina-por-r-60-milhoes-e-doar-para-bolivia,1660205

Brasil vai reformar usina por R$ 60 milhões e doar para Bolívia.

Anselmo Heidrich

Professor de Geografia no Ensino Médio e Pré-Vestibular em S. Paulo. Formado pela UFRGS em 1987.

Mais recentes de Anselmo Heidrich