Qui11142019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

02 Dez 2014

DIA DE AGRADECER

Escrito por 

Encontrar a família e agradecer por todas as coisas boas que aconteceram durante o ano. Isto é o Thanksgiving, feriado mais popular da sociedade americana. Na semana passada, 38,7 milhões de pessoas viajam 80km ou mais para estar com os familiares durante a celebração do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos.

 

Encontrar a família e agradecer por todas as coisas boas que aconteceram durante o ano. Isto é o Thanksgiving, feriado mais popular da sociedade americana. Na semana passada, 38,7 milhões de pessoas viajam 80km ou mais para estar com os familiares durante a celebração do Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos.

Tudo começou exatamente aqui em Plymouth, Massachusetts, onde em 1621 houve uma grande colheita de milho no verão, terminando uma temporada de safras ruins, especialmente em função do inverno rigoroso. A festa de celebração da colheita foi marcada para o outono, onde foram servidos patos, perus, peixe e milho. Os imigrantes sentaram-se junto com os índios e assim iniciou-se a tradição.

É bem verdade que os ingleses que aqui chegaram já traziam a celebração em suas bagagens. Podemos voltar até o período de Henrique VIII para buscar exatamente as origens. Entretanto, foi a região da Nova Inglaterra o berço da moderna noção da celebração que se tornou regular na região por volta de 1660 e se espalhou por todos os estados do país.

A mesa típica remonta também ao passado, com pães, abóboras, purês, nozes e maçãs. Não falta também concord grape, blueberry e cranberry. A idéia é realizar a celebração com alimentos tipicamente norte-americanos, ligados ao valor da terra e do trabalho, simbolizados pela fartura da colheita. A idéia do peru como prato principal explica isso, pois a ave consegue alimentar um número maior de pessoas do que um pato, galinha ou frango.

Desde Harry Truman, em 1947, é tradição que o Presidente "perdoe" dois perus por ano, como fez Obama este ano. Enquanto isso, outros 50 milhões serão consumidos pelas famílias americanas nesta data, afinal 88% dos norte-americanos mantém-se fiéis ao hábito tradicional deste prato principal desde o século XVII.

A tradição alcançou o calendário de outros países, como o Brasil, onde o Presidente Dutra instituiu o Dia Nacional de Ação de Graças na quarta quinta-feira de novembro, assim como nos Estados Unidos. Vemos comemorações semelhantes no Canadá, Reino Unido, Alemanha e inclusive no Japão. Entretanto, mais importante do que assistir ao desfile da Macy's ou as partidas de futebol americano, é importante separar esta data para de alguma forma agradecer ao lado da família todos os bons acontecimentos do ano. Afinal de contas, podemos até nos esquecer, mas no geral a vida nos dá muito mais motivos para sorrir e devemos ser gratos por isso.

Márcio Coimbra

Márcio Chalegre Coimbra, é advogado, sócio da Governale - Políticas Públicas e Relações Institucionais (www.governale.com.br). Habilitado em Direito Mercantil pela Unisinos. Professor de Direito Constitucional e Internacional do UniCEUB – Centro Universitário de Brasília. PIL pela Harvard Law School. MBA em Direito Econômico pela Fundação Getúlio Vargas. Especialista em Direito Internacional pela UFRGS. Vice-Presidente do Conil-Conselho Nacional dos Institutos Liberais pelo Distrito Federal. Sócio do IEE - Instituto de Estudos Empresariais. É editor do site Parlata (www.parlata.com.br) articulista semanal do site www.diegocasagrande.com.br e www.direito.com.br. Tem artigos e entrevistas publicadas em diversos sites nacionais e estrangeiros (www.urgente24.tv e www.hacer.org) e jornais brasileiros como Jornal do Brasil, Gazeta Mercantil, Zero Hora, Jornal de Brasília, Correio Braziliense, O Estado do Maranhão, Diário Catarinense, Gazeta do Paraná, O Tempo (MG), Hoje em Dia, Jornal do Tocantins, Correio da Paraíba e A Gazeta do Acre. É autor do livro “A Recuperação da Empresa: Regimes Jurídicos brasileiro e norte-americano”, Ed. Síntese - IOB Thomson (www.sintese.com).

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.