Qua07242019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

03 Dez 2013

MAIS CONTAS A PAGAR

Escrito por 

Tal salário acabará sendo pago, por vias tortas, através dos inúmeros canais do propinoduto petista, por verbas públicas, ou seja, pelo meu, pelo seu, pelo nosso suado dinheirinho.

 

O presidiário José Dirceu, enquanto estiver sujeito ao regime semiaberto de reclusão, tem direito a sair da prisão para trabalhar, desde que autorizado pelo juiz competente. Deve, no entanto, regressar ao presídio para dormir.

Para poder requerer este benefício, o presidiário deve apresentar ao juiz um contrato de trabalho que justifique sua saída durante o horário previsto.

José Dirceu já providenciou isso. Apresentou um contrato de trabalho para exercer a função de diretor administrativo do Hotel Saint Peter, no Setor Hoteleiro de Brasília. O contrato prevê o módico salário de Cr$ 20.000,00 mensais – algo muito estranho, pois a diretora geral do hotel, que ocupa cargo superior ao de Dirceu, ganha Cr$1.800,00. Também acho estranho o baixíssimo salário da diretora geral de um hotel de luxo na capital da república, mas isso não vem ao caso agora.

É louvável permitir que um condenado exerça uma profissão digna, o que, teoricamente, melhorará sua reinserção na sociedade após o cumprimento da pena. No entanto, é preciso evitar que, na nova atividade, o presidiário tenha condições de continuar praticando os atos que o levaram à penitenciária.

Imaginemos, então, a nova atividade de Dirceu. Instalado num belo escritório, talvez uma suíte no hotel onde vai trabalhar, com vista para a Esplanada dos Ministérios – onde já imperou e continua a ser figura poderosa, por seus contatos e facilidades oferecidas por seus companheiros de quadrilha ainda encastelados na estrutura governamental, totalmente aparelhada pelo PT e seus asseclas – poderá dedicar-se, tranquilamente, ao tráfico de influência milionário que exercia enquanto, após deixar o Palácio da Alvorada, enriquecia ainda mais vendendo contatos, nomeações, contratos, e demais mercadorias do balcão de um lobista desonesto de sucesso.

Essa atividade, em razão da qual acabou preso e condenado, por comprar consciências e votos de congressistas para apoiarem as propostas do governo do qual era Chefe da Casa Civil, poderia continuar a ser desenvolvida, agora, sob o amparo da mesma justiça que o condenou.

Como lobista instalado no hotel, seu primeiro cliente seria o dono do mesmo. Trata-se do empresário Paulo Abreu, proprietário da Rede Mundial de Comunicação, que controla as emissoras de rádio Tupi FM, Tupi AM, Mundial, Kiss FM, Scalla FM, Apollo FM, Iguatemi Prime FM, Terra AM, Terra FM e BR FM, entre outras, e que trabalha intensamente nas entranhas do poder para ressuscitar a extinta TV Excelsior, que pertencia ao empresário Mário Wallace Simonsen e fechou as portas em setembro de 1970.

Ele é um velho conhecido do Partido dos Trabalhadores, tendo escancarado a Rádio Tupi, em São Paulo, para entrevistas semanais de Fernando Haddad durante a campanha eleitoral rumo à prefeitura paulistana. Fora isso, na Advocacia-Geral da União (AGU) o possível novo patrão de José Dirceu é conhecido como o “rei das liminares”, o que explica as muitas concessões no setor de rádio.

Para completar o quadro: o irmão do empresário é presidente do Partido Trabalhista Nacional – PTN – nanico da base governamental. Embora tenha poucos votos, tem preciosos segundos de exposição na TV e, sendo dilmista, precisa ser afagado, cooptado e presenteado pelo governo.

Apenas dois fatos podem impedir que o novo golpe de Dirceu ocorra: o juiz que autorizaria o trabalho não aprovar a trapaça, baseado no simples argumento de que estaria permitindo a continuação da prática dos delitos pelo criminoso, ou a condenação pelo crime de formação de quadrilha, ainda em fase de julgamento do recurso do recurso no STF, que pode aumentar sua pena em mais de dois anos, colocando-o, por algum tempo, sob o regime fechado, o que seria motivo de intenso júbilo para os brasileiros de bem.

Não resta dúvida de que o novo funcionário, com um escritório de lobby instalado confortavelmente em seu hotel, poderá ser de grande utilidade para o patrão, talvez justificando o alto salário que lhe vai pagar.

Tal salário acabará sendo pago, por vias tortas, através dos inúmeros canais do propinoduto petista, por verbas públicas, ou seja, pelo meu, pelo seu, pelo nosso suado dinheirinho.

Será mais uma conta a pagar pelos mesmos tolos de sempre. Ou seja, nós.

Clovis Puper Bandeira

Nascido em 28 Fev 45 em Pelotas - RS

General de Divisão da Reserva do Exército Brasileiro

Ex Vice-Presidente e atual Assessor Especial do Presidente do Clube Militar

Principais funções na carreira militar:

- Instrutor da AMAN e da ECEME

- Aluno do US Army War College - EUA

- Comandante do 10º BI - Juiz de Fora - MG

- 1º Subchefe do Estado-Maior do Exército - Brasília - DF

- Comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva - Porto Velho - RO

- Chefe do Estado-Maior do Comando Militar da Amazonia - Manaus - AM

- Diretor de Especialização e Extensão - Rio - RJ

- Comandante da 3ª Região Militar - Porto Alegre - RS

- Chefe do Departamento de Inteligência Estratégica do Ministério da Defesa - Brasília - DF

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.