Sex12062019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

12 Mai 2011

Governo Invade Minhas Cuecas

Escrito por 

Antes eu ia a Europa para comprar música e livros que não encontro aqui. Se passar o projeto infame, terei mais um pretexto para ir a Paris: comprar cuecas.

 

Essa agora! Leio na Folha de São Paulo que um projeto de lei determina que roupas íntimas – cuecas ou calcinhas - terão de ser vendidas no Brasil com etiquetas que alertarão contra os cânceres de mama, colo de útero e próstata. O projeto de lei que prevê a nova regra foi aprovado ontem de forma conclusiva pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados. Como o projeto já havia passado pelo Senado, o texto seguirá para a sanção presidencial, caso não haja recursos no prazo de cinco dias. Pela proposta, as cuecas de tamanho adulto terão de trazer uma etiqueta com advertência sobre a importância do exame de câncer de próstata para os homens com mais de 40 anos.

Também será obrigatória a fixação de mensagem em calcinhas no tamanho adulto sobre “a importância do uso de preservativos como forma de prevenção do câncer de colo de útero e da realização periódica, por todas as mulheres com vida sexual ativa, de exames de detecção precoce dessa doença”. Nos sutiãs, a etiqueta deverá alertar sobre a importância do auto-exame dos seios para detecção precoce de câncer de mama, além de trazer informações sobre como fazer o exame. A regra se aplica a todas as peças produzidas ou vendidas no Brasil, mesmo aquelas importadas.

Antes que me esqueça, o estúpido autor do estúpido projeto é o ex-deputado Barbosa Neto, do PMDB de Goiás. A estupidez tramita no Congresso há mais de década. Enquanto o Legislativo, por desídia, delega ao Judiciário a tarefa de legislar, um deputado idiota invade um dos últimos resíduos de privacidade do cidadão, suas cuecas. Ou calcinhas. Se o tal de projeto passar, o Congresso estará desmoralizado de vez. Com que direito, um parlamento, decide carimbar minhas roupas íntimas? Será que um adulto precisa de um lembrete na cueca para fazer exame de próstata?

Ainda segundo a Folha, o projeto prevê ainda uma série de punições para as empresas que descumprirem a regra, como apreensão do produto, suspensão da venda ou da fabricação, cancelamento de autorização de funcionamento da empresa e proibição de propaganda. O Ministério da Saúde irá definir como será a aplicação e a fiscalização da nova regra. Após a sanção presidencial, fabricantes e comerciantes terão 180 dias para se adaptar à novidade.

Desista das grifes tipo Lupo, Gucci, Armani, Calvin Klein. O must agora é câncer de mama, colo de útero, câncer de próstata. Do universo entre as nações, resplandece a do Brasil. Pela primeira vez na história universal, um parlamento pretende imprimir palavras de ordem em suas cuecas. Como até as peças importadas devem ser carimbadas, se você quiser escapar da ditadura que determina como devem ser suas roupas íntimas, só viajando e comprando in loco. Isso se a aduana não impedir a entrada das cuecas ilegais.

Antes eu ia a Europa para comprar música e livros que não encontro aqui. Se passar o projeto infame, terei mais um pretexto para ir a Paris: comprar cuecas.

Última modificação em Segunda, 10 Março 2014 21:03
Janer Cristaldo

O escritor e jornalista Janer Cristaldo nasceu em Santana do Livramento, Rio Grande do Sul. Formou-se em Direito e Filosofia e doutorou-se em Letras Francesas e Comparadas pela Université de la Sorbonne Nouvelle (Paris III). Morou na Suécia, França e Espanha. Lecionou Literatura Comparada e Brasileira na Universidade Federal de Santa Catarina e trabalhou como redator de Internacional nos jornais Folha de S. Paulo e Estado de S. Paulo. Faleceu no dia 18 de Outubro de 2014.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.