Sáb12142019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

22 Ago 2004

O Patrocínio das Indignidades

Escrito por 

A Justiça e a urna eleitoral, são as respostas mais saudáveis para tais casos. Mas, se houver pressa emergencial, "democratismo" em cima deles!

Mensagem de um amigo de Bagé: "Os acampados em torno da Fazenda Ana Paula - a maior hoje da região. Aquela que produz boi de um ano com 400 quilos (Aberdeen de carne vermelha) esta sendo roubada em oito cabeças p/semana e sofre hoje uma ameaça do MST, que está por trás disto tudo, anuncio que irá invadi-la na semana que vem. A Farsul ajuizará ação própria de INTERDITO PROIBITÓRIO, amanhã dia l4/jan."

"Por outro lado, o governo do estado está comprando uma área de 5 mil ha em Aceguá de uma pessoa que não tem nada a ver com produção pecuária, para assentamentos... É exatamente na região onde existe uma pecuária super requintada, haras espetaculares e grandes plantações de soja...

Amigos, eles estão rebentando com nosso Rio Grande do Sul".

Quando um Estado Federado é tocado por um governo ideologicamente retrógrado, não existe outra saída: a defesa da propriedade e da própria liberdade têm que ser levadas às últimas conseqüências. A primeira providência será a judicial e, se necessário, a extensa cadeia dos instrumentos recursais, podendo-se chegar até o atolado Supremo Tribunal Federal, sob enfoque nítido de matéria constitucional.

Sendo assim, a invasão e o esbulho poderão chegar ao conhecimento terminal de Brasília, mas o gado Aberdeen Angus ou Hereford já terão sido churrasqueados, sob os ditames de uma entidade falangista, ideológica e, possivelmente, até agora sem existência legal, ou quem sabe até oficializada no cadastro geral de contribuintes do Ministério da Fazenda...

O ressarcimento, portanto, dos danos materiais e morais, será muito difícil de obter, embora possam ser materializadas pelas provas irrefutáveis.É o caso da chacina, na á rea penal, quando não se consegue definir responsabilidades individualizadas. O sujeito morreu na mão da "justiça popular" e fim de papo... Ninguém fala mais no assunto.

Os atos de vandalismo e de bandidagem em Bagé, são a tênue amostragem do que será possível acontecer em escala continental brasílica, se o "democratismo" nacional-socialista tupiniquim conseguir subir com suas muletas a rampa do Planalto. O bom-mocismo e a incoerência do centralismo interesseiro, fisiológico e clientelista, tem permitido o sério agravamento das questões meramente policiais do campo, sob a falsa alegação de estarem inseridas no amplo e difuso universo dos "interesses sociais" e sob controle policial das autonomias estaduais, exceção feita à propriedade que possa interessar ao Príncipe de Plantão, quando até o Exército é chamado para sua defesa dominial. A sístole e a diástole golberiana, também é válida para os assuntos particulares do Poder...

Ora, como o nosso querid o Rio Grande está com um governo de bossoroca, o buraco aberto corresponderá sempre aos efeitos da inveja, do ódio e dos rancores políticos e sociais, acobertados pelo registro eleitoral indevido mas legalizado, não se sabe como, pois pela lei, ainda vigente, não se poderia registrar partidos com denominações discriminatórias, tais como Partido das Mulheres, Partido dos Operários, Partido dos Analfabetos, Partido dos Proprietários, Partido dos Patrões...

Mas, voltando às vacas frias, o esbulho possessório pode ser repelido com total legitimidade com emprego dos meios disponíveis, proporcionais à violência oferecida pela invasão do domínio ou da posse legítima. Entretanto, tendo em vista a criminalização das armas de fogo, será muito difícil defender uma propriedade na base da arma branca e dos murros,contra centenas ou milhares de foices e enxadas invasoras, travestidas de instrumentos de labor, via interesse social de uma "ocupação pacífica" da terra alheia. Coisa m aluca, em país de loucuras...

Não existe, portanto, uma receita de salvação imediata para tamanha situação de indignidades. A Justiça e a urna eleitoral, são as respostas mais saudáveis para tais casos. Mas, se houver pressa emergencial, "democratismo" em cima deles!

Última modificação em Quarta, 30 Outubro 2013 20:17
Jorge Geisel

Advogado especialista em Direito Marítimo com passagem em diversos cursos e seminários no exterior. Poeta, articulista, membro trintenário do Lions Clube do Brasil. É um dos mais expressivos defensores do federalismo e da idéia de maior independência das unidades da federação.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.