Dom09152019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

26 Mar 2009

O Diabo Está Nos Detalhes

Escrito por 

Mas são apenas detalhes. Ideologias que “do ponto de vista político e do ponto de vista sociológico, do ponto de vista da racionalidade humana” perduram desde o século 20.

Lula-lá, em Nova York, sobre o fim do embargo dos EUA a Cuba: “Não existe mais, do ponto de vista político e do ponto de vista sociológico, do ponto de vista da racionalidade humana, nada mais que impeça o restabelecimento das relações entre Estados Unidos e Cuba. Não é possível que a gente continue fazendo no século 21 políticas com o olhar do que aconteceu no século 20. Vamos fazer política pensando no século 22”. Concordo! Mas... Só isso?! Detalhe: a maldita revolução cubana retirou do poder um ditador com aval capitalista para colocar outro com aval comunista. São 50 anos sem eleições, partidos políticos, sindicatos, democracia, direitos humanos, liberdade de imprensa, milhares de presos políticos, internet proibida e mais supérfluos de que o povo cubano, queira Deus, conheça lá pelo século 22.

 

Já no Brasil do século 21, o PT faz discípulos: a Polícia Rodoviária Federal deteve um chinês que transportava mais de R$ 300 mil escondidos na cueca, meias e sapatos. E o projeto de construção de uma rodovia na Bolívia que será feito pela OAS com dinheiro do BNDES, avalizado por Lula, é investigado pela Controladoria-Geral do país do companheiro Evo Morales após quatro avaliações levantarem suspeitas de favorecimento e superfaturamento. A construtora brasileira foi a única que participou da licitação. Detalhe: o empréstimo da obra que está sendo negociado diretamente entre Lula e Evo é de US$ 415 milhões; 80% com verba do BNDES.

 

E o PSDB não se contenta em ficar atrás e distribuiu às crianças da 6ª série do ensino público paulista milhares de livros didáticos novinhos! Detalhe: Bolívia e Paraguai formam um só país. São dois Paraguais. E um deles é banhado pelo oceano.

 

Delúbio Soares levou carta ao Diretório Nacional do PT pedindo refiliação. Se negado, “Nosso” Delúbio já pediu apoio de petistas para se filiar a um partido aliado. Já conversou com o PMDB de Goiás. Detalhe: o suposto tesoureiro do mensalão quer ser eleito deputado federal em 2010. É a “política do século 22” em andamento.

 

Depois te ter emprestado o celular do Senado - que não possui limite de gastos - para sua filha usar numa viagem de 15 dias ao México, o senador Tião Viana (PT-AC) avisou que pagou a conta! Detalhe: isso depois de ter sido descoberto. Tião não revela o valor da fatura nem daqui a 15 séculos.

 

Nos EUA a AIG pagou bônus milionários a seus executivos depois de embolsar US$ 170 bilhões de ajuda do governo Obama-lá. O presidente da seguradora, Edward Liddy, afirmou que por conta de “força contratual” não pôde deixar de socializar a fortuna. Detalhe: Liddy jurou de pés juntos que desde novembro de 2008 o Banco Central americano sabia dos bônus, e que o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, também havia sido informado há duas semanas. Outro detalhe: Obama defendeu o companheiro Geithner dizendo que os contratos não foram assinados por ele, e que “ninguém do governo tem obrigação de fiscalizar a seguradora”. Não?! Os bilhões não são do povo?!

 

Pra não ficar apenas na marolinha e de fora das fortes emoções do mercado internacional, o Brasil é o quarto maior detentor de títulos da dívida estadunidense. Mais de 60% de nossas reservas são em títulos americanos. Damos sobrevida à economia do Império. Detalhe: se o grande líder democrata socialista bolivariano, Hugo Chávez, e seus amiguinhos presidentes por usucapião de Cuba, Fidel e Raúl Castro, destruírem o Império...

 

Mas são apenas detalhes. Ideologias que “do ponto de vista político e do ponto de vista sociológico, do ponto de vista da racionalidade humana” perduram desde o século 20.

Lula-lá, em Nova York, sobre o fim do embargo dos EUA a Cuba: “Não existe mais, do ponto de vista político e do ponto de vista sociológico, do ponto de vista da racionalidade humana, nada mais que impeça o restabelecimento das relações entre Estados Unidos e Cuba. Não é possível que a gente continue fazendo no século 21 políticas com o olhar do que aconteceu no século 20. Vamos fazer política pensando no século 22”. Concordo! Mas... Só isso?! Detalhe: a maldita revolução cubana retirou do poder um ditador com aval capitalista para colocar outro com aval comunista. São 50 anos sem eleições, partidos políticos, sindicatos, democracia, direitos humanos, liberdade de imprensa, milhares de presos políticos, internet proibida e mais supérfluos de que o povo cubano, queira Deus, conheça lá pelo século 22.

 

Já no Brasil do século 21, o PT faz discípulos: a Polícia Rodoviária Federal deteve um chinês que transportava mais de R$ 300 mil escondidos na cueca, meias e sapatos. E o projeto de construção de uma rodovia na Bolívia que será feito pela OAS com dinheiro do BNDES, avalizado por Lula, é investigado pela Controladoria-Geral do país do companheiro Evo Morales após quatro avaliações levantarem suspeitas de favorecimento e superfaturamento. A construtora brasileira foi a única que participou da licitação. Detalhe: o empréstimo da obra que está sendo negociado diretamente entre Lula e Evo é de US$ 415 milhões; 80% com verba do BNDES.

 

E o PSDB não se contenta em ficar atrás e distribuiu às crianças da 6ª série do ensino público paulista milhares de livros didáticos novinhos! Detalhe: Bolívia e Paraguai formam um só país. São dois Paraguais. E um deles é banhado pelo oceano.

 

Delúbio Soares levou carta ao Diretório Nacional do PT pedindo refiliação. Se negado, “Nosso” Delúbio já pediu apoio de petistas para se filiar a um partido aliado. Já conversou com o PMDB de Goiás. Detalhe: o suposto tesoureiro do mensalão quer ser eleito deputado federal em 2010. É a “política do século 22” em andamento.

 

Depois te ter emprestado o celular do Senado - que não possui limite de gastos - para sua filha usar numa viagem de 15 dias ao México, o senador Tião Viana (PT-AC) avisou que pagou a conta! Detalhe: isso depois de ter sido descoberto. Tião não revela o valor da fatura nem daqui a 15 séculos.

 

Nos EUA a AIG pagou bônus milionários a seus executivos depois de embolsar US$ 170 bilhões de ajuda do governo Obama-lá. O presidente da seguradora, Edward Liddy, afirmou que por conta de “força contratual” não pôde deixar de socializar a fortuna. Detalhe: Liddy jurou de pés juntos que desde novembro de 2008 o Banco Central americano sabia dos bônus, e que o secretário do Tesouro, Timothy Geithner, também havia sido informado há duas semanas. Outro detalhe: Obama defendeu o companheiro Geithner dizendo que os contratos não foram assinados por ele, e que “ninguém do governo tem obrigação de fiscalizar a seguradora”. Não?! Os bilhões não são do povo?!

 

Pra não ficar apenas na marolinha e de fora das fortes emoções do mercado internacional, o Brasil é o quarto maior detentor de títulos da dívida estadunidense. Mais de 60% de nossas reservas são em títulos americanos. Damos sobrevida à economia do Império. Detalhe: se o grande líder democrata socialista bolivariano, Hugo Chávez, e seus amiguinhos presidentes por usucapião de Cuba, Fidel e Raúl Castro, destruírem o Império...

 

Mas são apenas detalhes. Ideologias que “do ponto de vista político e do ponto de vista sociológico, do ponto de vista da racionalidade humana” perduram desde o século 20.

André Plácido

André Arruda Plácido nasceu em Pirajuí (SP) e é cidadão português. Reside em Londrina (PR) onde graduou-se em Relações Públicas e Teologia. Em Bauru (SP) concluiu o curso de Jornalismo. Fez especialização em Comunicação e Liderança em Missões Mundiais pelo Haggai Institute em Cingapura. É professor de comunicação, poeta, radialista, cronista e fotógrafo.

Website.: fotologue.jp/andrearrudaplacido

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.