Dom09152019

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

27 Ago 2008

Notícias do Campo de Batalha

Escrito por 

Tudo bem, eles tem todo o direito de serem pacifistas da mesma forma que eu tenho o direito de ser pacífico, mas, por que eles até o momento não se pronunciaram em relação a invasão da Geórgia feita pela Rússia?

"A hipocrisia é uma homenagem que o vício presta à virtude". (François de La Rochefoucauld)

 

- - - - - - - - - -

Onde estão os pacifistas que agitaram o mundo quando o governo dos Estados Unidos da América do Norte havia anunciado a libertação do Iraque que estava sob o domínio de Saddam Hussein? Pergunto isso diante da questão que este mísero missivista julga ser obvia, porém, frente ao olhar seletivo e cínico da mídia chique é algo que de modo algum é vislumbrado.

Lembro-me com grande clareza que quanto foi feito o anúncio da possível libertação do Iraque através de uma possível intervenção feita por tropas estadunidenses, mais do que depressa tivemos a invasão de propagandas e discursos de publicistas na mídia impressa, nos folhetins eletrônicos na internet e na mídia televisiva gritando aos quatro ventos: “diga não a guerra e sim a soberania do Estado Nação”. Mesmo que o Estado em questão fosse uma ditadura totalitária de inspiração Nazi-comunista, tal qual os cânones presentes nos manifestos do partido Ba’th, partido que o falecido Saddam integrava.

Não é deletado de minha memória a edição do (C)Fantástico logo após o início das manobras militares das tropas estadunidenses no Iraque onde, em cada quadro, após o intervalo, havia um folhetim propagandístico pacifista. Ora raios, então me esclareçam uma coisa só: por que a mesma “revista eletrônica”, ou o mesmo canal de televisão, não fez nenhuma chamada similar diante da invasão bélica da Geórgia, feita de maneira brutal, sem anuncio ou negociação, pela Rússia?

E mais! Lembro-me claramente que na época dos preparativos para a libertação do Iraque, havia um idiota, brasileiro, diga-se de passagem, que lá estava para servir de escudo humano para proteger o Saddam Hussein e seu povo. Lembro-me também que quando as tropas estadunidenses iniciaram as suas manobras o macunaímico herói de meia pataca vazou pela tangente e desistiu dos préstimos prometidos ao povo iraquiano. Bem, dito isso, mais uma vez pergunto: onde estão os histriônicos escudos humanos, similares ao idiota citado, na Geórgia para proteger o povo desta nação que a poucos anos havia se libertado do domínio do Ex-Império Russo-Soviético?

Putz! Mais uma lembrança me arrebata a memória. Na época da libertação da nação supra citada havia uma ONG nominada “Humanos Direitos”, ou diria, um grupo de idiotas úteis politicamente corretos, que propagandeavam inúmeras inserções nos canais de televisão abertos afirmando que tal ação do exército estadunidense era uma violação aos direitos humanos, que tudo aquilo era um absurdo e todo aquele blá blá blá politicamente correto que todos nós estamos cansados de ouvir e ler.

Tudo bem, eles tem todo o direito de serem pacifistas da mesma forma que eu tenho o direito de ser pacífico, mas, por que eles até o momento não se pronunciaram em relação a invasão da Geórgia feita pela Rússia? Será que apenas a deposição de Saddam Hussein é um crime contra humanidade? Será que a morte de cidadãos inocentes de um país do Leste Europeu não o é?

A verdade, meus caros amigos, sem nenhuma alusão a revista Caros Umbigos, é que todas essas manifestações supostamente pacifistas, nada mais eram do que propaganda anti-americana, nada mais e nada menos que isso. Se não é isso, então me digam por que tanto a mídia chique quanto as ONG’s supostamente humanitárias nada falam, nada gritam, sobre os outros inúmeros conflitos espalhados pelo mundo? Por que eles nada declaram a respeito das guerras esquecidas que assolam o mundo? Por que eles nada falaram, da mesma maneira atávica, como haviam dito no caso do Iraque, com relação a invasão criminosa da Geórgia? Por que?

Não encontra uma resposta plausível para estas questões meu caro? Então lhe pergunto mais uma coisinha: você não reparou que essa gente supostamente humanitária é mais cínica do que preocupada com o bem do próximo?

Alias, você nunca se perguntou quem financia esses grupos? Se você se dedicar a investigar essa última pergunta, terá uma (in)grata surpresa, pois, verificará que os mesmos grupos que financiam esses grupos humanitários financiam o Fórum Social Mundial, apóiam o MIR Chileno, as FARC et caterva.

Isso mesmo meu caro. Se você é daqueles que ainda pensa naquele esqueminha pacóvio que apresenta de um lado o malvado Império Americano e do outro os baluartes da liberdade, reflita com seriedade e sinceridade sobre estas questões apontadas.

Poderia eu, de minha parte, recomendar aqui a leitura do livro O JARDIM DAS AFLIÇÕES do filósofo Olavo de Carvalho, porém, provavelmente me taxariam de direitista de maneira similar a forma que seus detratores fazem com esse grande estudioso. Por essa razão, recomendo a leitura do livro EL IMPÉRIO do intelectual comunista Antonio Negri, escrito em parceria com Michael Hardt, que, mesmo ambos sendo marxistas, apresentam uma lúcida visão dos problemas hodiernos.

Se você deseja entender a situação, creio que estas leituras sejam um bom começo. Mas, se você deseja apenas macaquear tudo o que você vê e lê na grande mídia para fingir que entende alguma coisa, esqueça que algum dia leu esta breve e indigna missiva.

Esqueça...

"A hipocrisia é uma homenagem que o vício presta à virtude". (François de La Rochefoucauld)

 

- - - - - - - - - -

Onde estão os pacifistas que agitaram o mundo quando o governo dos Estados Unidos da América do Norte havia anunciado a libertação do Iraque que estava sob o domínio de Saddam Hussein? Pergunto isso diante da questão que este mísero missivista julga ser obvia, porém, frente ao olhar seletivo e cínico da mídia chique é algo que de modo algum é vislumbrado.

Lembro-me com grande clareza que quanto foi feito o anúncio da possível libertação do Iraque através de uma possível intervenção feita por tropas estadunidenses, mais do que depressa tivemos a invasão de propagandas e discursos de publicistas na mídia impressa, nos folhetins eletrônicos na internet e na mídia televisiva gritando aos quatro ventos: “diga não a guerra e sim a soberania do Estado Nação”. Mesmo que o Estado em questão fosse uma ditadura totalitária de inspiração Nazi-comunista, tal qual os cânones presentes nos manifestos do partido Ba’th, partido que o falecido Saddam integrava.

Não é deletado de minha memória a edição do (C)Fantástico logo após o início das manobras militares das tropas estadunidenses no Iraque onde, em cada quadro, após o intervalo, havia um folhetim propagandístico pacifista. Ora raios, então me esclareçam uma coisa só: por que a mesma “revista eletrônica”, ou o mesmo canal de televisão, não fez nenhuma chamada similar diante da invasão bélica da Geórgia, feita de maneira brutal, sem anuncio ou negociação, pela Rússia?

E mais! Lembro-me claramente que na época dos preparativos para a libertação do Iraque, havia um idiota, brasileiro, diga-se de passagem, que lá estava para servir de escudo humano para proteger o Saddam Hussein e seu povo. Lembro-me também que quando as tropas estadunidenses iniciaram as suas manobras o macunaímico herói de meia pataca vazou pela tangente e desistiu dos préstimos prometidos ao povo iraquiano. Bem, dito isso, mais uma vez pergunto: onde estão os histriônicos escudos humanos, similares ao idiota citado, na Geórgia para proteger o povo desta nação que a poucos anos havia se libertado do domínio do Ex-Império Russo-Soviético?

Putz! Mais uma lembrança me arrebata a memória. Na época da libertação da nação supra citada havia uma ONG nominada “Humanos Direitos”, ou diria, um grupo de idiotas úteis politicamente corretos, que propagandeavam inúmeras inserções nos canais de televisão abertos afirmando que tal ação do exército estadunidense era uma violação aos direitos humanos, que tudo aquilo era um absurdo e todo aquele blá blá blá politicamente correto que todos nós estamos cansados de ouvir e ler.

Tudo bem, eles tem todo o direito de serem pacifistas da mesma forma que eu tenho o direito de ser pacífico, mas, por que eles até o momento não se pronunciaram em relação a invasão da Geórgia feita pela Rússia? Será que apenas a deposição de Saddam Hussein é um crime contra humanidade? Será que a morte de cidadãos inocentes de um país do Leste Europeu não o é?

A verdade, meus caros amigos, sem nenhuma alusão a revista Caros Umbigos, é que todas essas manifestações supostamente pacifistas, nada mais eram do que propaganda anti-americana, nada mais e nada menos que isso. Se não é isso, então me digam por que tanto a mídia chique quanto as ONG’s supostamente humanitárias nada falam, nada gritam, sobre os outros inúmeros conflitos espalhados pelo mundo? Por que eles nada declaram a respeito das guerras esquecidas que assolam o mundo? Por que eles nada falaram, da mesma maneira atávica, como haviam dito no caso do Iraque, com relação a invasão criminosa da Geórgia? Por que?

Não encontra uma resposta plausível para estas questões meu caro? Então lhe pergunto mais uma coisinha: você não reparou que essa gente supostamente humanitária é mais cínica do que preocupada com o bem do próximo?

Alias, você nunca se perguntou quem financia esses grupos? Se você se dedicar a investigar essa última pergunta, terá uma (in)grata surpresa, pois, verificará que os mesmos grupos que financiam esses grupos humanitários financiam o Fórum Social Mundial, apóiam o MIR Chileno, as FARC et caterva.

Isso mesmo meu caro. Se você é daqueles que ainda pensa naquele esqueminha pacóvio que apresenta de um lado o malvado Império Americano e do outro os baluartes da liberdade, reflita com seriedade e sinceridade sobre estas questões apontadas.

Poderia eu, de minha parte, recomendar aqui a leitura do livro O JARDIM DAS AFLIÇÕES do filósofo Olavo de Carvalho, porém, provavelmente me taxariam de direitista de maneira similar a forma que seus detratores fazem com esse grande estudioso. Por essa razão, recomendo a leitura do livro EL IMPÉRIO do intelectual comunista Antonio Negri, escrito em parceria com Michael Hardt, que, mesmo ambos sendo marxistas, apresentam uma lúcida visão dos problemas hodiernos.

Se você deseja entender a situação, creio que estas leituras sejam um bom começo. Mas, se você deseja apenas macaquear tudo o que você vê e lê na grande mídia para fingir que entende alguma coisa, esqueça que algum dia leu esta breve e indigna missiva.

Esqueça...

Dartagnan Zanela

Professor e ensaísta. Autor dos livros Sofia Perennis, O Ponto Arquimédico, A Boa Luta, In Foro Conscientiae e Nas Mãos de Cronos – ensaios sociológicos.

Deixe um comentário

Informações marcadas com (*) são obrigatórias. Código HTML básico é permitido.

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.