Qua09232020

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

13 Nov 2006

A Volta da Barbárie

Escrito por 
Na campanha para o segundo mandato, Lula inundou o País com mais um tsunami de mentiras, atribuindo a seu governo todas as conquistas do País, conseguidas "apesar dele" e não por causa dele.
Lula não ganhou o segundo turno. Foi Alckmin quem perdeu! Como homem, como político, como administrador, como patriota, a superioridade de Alckmin é tão grande que só mesmo um desastre explica sua derrota na disputa à presidência.
 
Tayllerand, que sobreviveu a seis regimes nos atribulados anos da Revolução Francesa, legou-nos um pensamento que lança luz sobre este desastre, ou seja, sobre a vitória do presidente mais corrupto e incompetente de todos os tempos: Sentenciou ele: "Só existe uma arma mais letal que a mentira: a verdade!"
 
Lula ganhou, não só o primeiro, como também o segundo mandato, brandindo com maestria a temível arma da mentira. Alckmin perdeu porque não teve a coragem de falar a verdade por inteiro, ou seja, denunciar que Lula é, acima de tudo, um comunista a serviço de interesses do Foro de São Paulo, um traidor da Pátria, um pau mandado do moribundo Fidel Castro, do oligofrênico Hugo Chavez, do arrivista Evo Morales e até do encrenqueiro montoneiro Néstor Kischner, irmanados no ideal de trazer para nosso sofrido País todas as desgraças que o comunismo, no século passado, trouxe para dezenas de países, deixando em sua esteira mais de cem milhões de cadáveres, além do mais arrasador fracasso social e econômico. Este é o projeto inconfessável de Lula, que, de fato, está sendo implantado, na surdina, com a maior competência.
 
Tudo em Lula é mentira, desde seus tempos de agitador comunista, quando incitava os operários a destruir fábricas, conforme manda o dogma marxista da luta de classes. Comunista radical, sempre escondeu esta falha de caráter, com as piores intenções, disfarçando-se como "sindicalista" ou "socialista", o que, no fundo, é a mesma depravação.
A vitória de Lula foi um desastre para o País, pois nunca tivemos um presidente tão inconveniente, tão corrupto, tão mentiroso, além de ser um agente infiltrado, na presidência do País, da ralé comunista de todo o mundo.
 
Em outras paragens, Nicarágua já caiu nas mãos do comuna Ortega e até nos Estados Unidos os democratas – a esquerda daquele país - conquistaram o domínio da Camara dos Deputados e do Senado. Parece que o pêndulo mundial está oscilando para a esquerda, e a culpa é que as conquistas do Iluminismo têm sido derrotadas tragicamente pelo fanatismo comunista detonado em 1848 pelo Manifesto do Partido Comunista, de Karl Marx, em seguida turbinado por Lênin e depois por Gramsci, dentre outros psicopatas igualmente peçonhentos. A explicação é que esquecemo-nos da profética admoestação do revolucionário irlandês John Philpot Curran: "A condição pela qual Deus concedeu a liberdade ao homem é a eterna vigilância, sob pena de sermos condenados à escravidão e ao castigo".
 
Lula, como todo comunista, nunca teve um projeto de governo. Tão somente um projeto de poder. Sempre mentindo, apresentou-se como campeão da ética e da democracia e dedicou-se a sabotar todas as iniciativas de todos os governos anteriores, sempre com o objetivo final de implantar, no País, o tão sonhado comunismo. Tão logo assumiu o poder, passou a plagiar descaradamente as políticas econômicas e sociais de seu antecessor, apenas mudando o nome e colocando-as a serviço da cata de votos.
 
Protegendo-se com uma blindagem política do tipo "não sei de nada", Lula montou, por meio de seus auxiliares diretos, o maior esquema de corrupção jamais imaginado. No entanto, em denúncia enviada ao Supremo Tribunal Federal, ninguém menos que o Procurador Geral da República, Antônio Fernando Souza (por ele nomeado), denunciou que o governo petista não passa de uma "sofisticada organização criminosa" para, por meio do tal mensalão, "angariar ilicitamente o apoio de outros partidos políticos para formar a base de sustentação do governo federal". Em 136 páginas o Procurador citou nominalmente quarenta membros da quadrilha, mas esqueceu-se de falar no "mensalinho" da bolsa-família, um deslavado programa eleitoreiro, com dinheiro público. Nem Al Capone seria capaz de tamanha baixaria. Surpreendentemente, Lula declarou-se o homem mais ético do País!!! Em outra ousadíssima bravata, recusou-se a comungar, alegando não ter pecados a confessar... Mesmo assim sempre teve, como principais aliados, clérigos católicos, no papel de inocentes úteis.
 
Quarenta mil petistas foram "aparelhados" no governo, a maioria com salários de marajás, com a mais sinistra das intenções. Lula colocou sindicalistas no lugar de técnicos, alforriou os facínoras do MLST, liberou bilhões de reais para os bandidos do MST e também para os terroristas de antanho ("anistiados"), hoje guindados a cargos estratégicos no governo, augurando o momento da "ruptura", quando espera assumir o poder absoluto. Nem precisará fechar o Congresso nem amordaçar a mídia e nem mesmo o Judiciário, pois já estão todos comendo em sua mão. Sempre utilizou a máquina pública com este objetivo. Faltou a Alckmin coragem para denunciar este esquema diabólico.
 
Enquanto aplicou "apenas" dez bilhões de reais para comprar os votos dos inocentes, com um prato de comida, destinou quase DUZENTOS bilhões de reais para os banqueiros, os maiores beneficiários de sua política econômica. Além disso, aumentou a carga tributária, que já era a maior do mundo, para sobrar mais dinheiro para a corrupção e para o marajanato petista, doador de dízimos para o Partido. Com objetivos políticos perdoou dívidas de muitos países e ainda cedeu aos apelos dos piratas chineses, considerando a China como "economia de mercado", prejudicando enormemente os empresários brasileiros, ameaçando liquidar de vez com a indústria têxtil brasileira.
 
Na campanha para o segundo mandato, Lula inundou o País com mais um tsunami de mentiras, atribuindo a seu governo todas as conquistas do País, conseguidas "apesar dele" e não por causa dele. Chegou até a furtar aplausos da ONU dirigidas a Kofi Annan...
 
Alegou que criou mais de sete milhões de empregos, sem reconhecer que foram criados principalmente em São Paulo e Minas, governados pelo PSDB. Com o maior cinismo gabou-se do pífio progresso econômico – em verdade, estagnação econômica, com assustador nível de desemprego - enquanto a verdade é que o País perdeu o bonde da história, pois nunca o cenário econômico mundial esteve tão favorável. Só cresceu mais que o Haiti, que não passa de uma grande favela. A Argentina cresceu quase cinco vezes mais que o Brasil. A educação e a saúde estão em petição de miséria, as estradas abandonadas e esburacadas e a falta de investimentos no controle de tráfego aéreo causou o caos por ocasião do feriado prolongado de finados, porque as verbas para atualização do setor foram desviadas. Por várias vezes Lula tentou amordaçar a opinião pública, controlando a mídia e o audiovisual e até a Polícia Federal foi aliciada para pressionar a imprensa, achacando repórteres da Revista Veja . Bóris Casoy foi defenestrado do noticiário da TV, sob pressão do governo, o grande anunciante. Até o cronista Carlos Chagas, que sempre entoou loas aos comunas, está sendo perseguido. Bem feito! A KGB tupiniquim vem por aí, em passo de ganso...
 
Apesar deste descalabro, Alckmin, mal assessorado em questões de propaganda, limitou-se a prometer os lugares comuns de sempre, nos quais ninguém mais acredita, deixando de usar contra Lula a mais perigosa das armas, a VERDADE, ou seja, a denúncia de que Lula é, acima de tudo, um comunista a serviço de interesses do comunismo internacional que, ao contrário do senso comum, nunca esteve tão vivo e tão ativo, agora com a cumplicidade dos terroristas islâmicos, todos eles inimigos dos países que prezam a liberdade, como os Estados Unidos. A Idade Média, pré-iluminista, bate à nossa porta...
 
Como sentenciou Roberto Campos, com o brilho de sempre: "A verdadeira dicotomia do momento não é mais entre a esquerda e a direita, mas entre o ILUMINISMO e a BARBÁRIE". Lula é a barbárie, como cansou de demonstrar, porém quase sessenta milhões de idiotas o sufragaram nas urnas. Envergonho-me de ser brasileiro.
Lula não ganhou o segundo turno. Foi Alckmin quem perdeu! Como homem, como político, como administrador, como patriota, a superioridade de Alckmin é tão grande que só mesmo um desastre explica sua derrota na disputa à presidência.
 
Tayllerand, que sobreviveu a seis regimes nos atribulados anos da Revolução Francesa, legou-nos um pensamento que lança luz sobre este desastre, ou seja, sobre a vitória do presidente mais corrupto e incompetente de todos os tempos: Sentenciou ele: "Só existe uma arma mais letal que a mentira: a verdade!"
 
Lula ganhou, não só o primeiro, como também o segundo mandato, brandindo com maestria a temível arma da mentira. Alckmin perdeu porque não teve a coragem de falar a verdade por inteiro, ou seja, denunciar que Lula é, acima de tudo, um comunista a serviço de interesses do Foro de São Paulo, um traidor da Pátria, um pau mandado do moribundo Fidel Castro, do oligofrênico Hugo Chavez, do arrivista Evo Morales e até do encrenqueiro montoneiro Néstor Kischner, irmanados no ideal de trazer para nosso sofrido País todas as desgraças que o comunismo, no século passado, trouxe para dezenas de países, deixando em sua esteira mais de cem milhões de cadáveres, além do mais arrasador fracasso social e econômico. Este é o projeto inconfessável de Lula, que, de fato, está sendo implantado, na surdina, com a maior competência.
 
Tudo em Lula é mentira, desde seus tempos de agitador comunista, quando incitava os operários a destruir fábricas, conforme manda o dogma marxista da luta de classes. Comunista radical, sempre escondeu esta falha de caráter, com as piores intenções, disfarçando-se como "sindicalista" ou "socialista", o que, no fundo, é a mesma depravação.
A vitória de Lula foi um desastre para o País, pois nunca tivemos um presidente tão inconveniente, tão corrupto, tão mentiroso, além de ser um agente infiltrado, na presidência do País, da ralé comunista de todo o mundo.
 
Em outras paragens, Nicarágua já caiu nas mãos do comuna Ortega e até nos Estados Unidos os democratas – a esquerda daquele país - conquistaram o domínio da Camara dos Deputados e do Senado. Parece que o pêndulo mundial está oscilando para a esquerda, e a culpa é que as conquistas do Iluminismo têm sido derrotadas tragicamente pelo fanatismo comunista detonado em 1848 pelo Manifesto do Partido Comunista, de Karl Marx, em seguida turbinado por Lênin e depois por Gramsci, dentre outros psicopatas igualmente peçonhentos. A explicação é que esquecemo-nos da profética admoestação do revolucionário irlandês John Philpot Curran: "A condição pela qual Deus concedeu a liberdade ao homem é a eterna vigilância, sob pena de sermos condenados à escravidão e ao castigo".
 
Lula, como todo comunista, nunca teve um projeto de governo. Tão somente um projeto de poder. Sempre mentindo, apresentou-se como campeão da ética e da democracia e dedicou-se a sabotar todas as iniciativas de todos os governos anteriores, sempre com o objetivo final de implantar, no País, o tão sonhado comunismo. Tão logo assumiu o poder, passou a plagiar descaradamente as políticas econômicas e sociais de seu antecessor, apenas mudando o nome e colocando-as a serviço da cata de votos.
 
Protegendo-se com uma blindagem política do tipo "não sei de nada", Lula montou, por meio de seus auxiliares diretos, o maior esquema de corrupção jamais imaginado. No entanto, em denúncia enviada ao Supremo Tribunal Federal, ninguém menos que o Procurador Geral da República, Antônio Fernando Souza (por ele nomeado), denunciou que o governo petista não passa de uma "sofisticada organização criminosa" para, por meio do tal mensalão, "angariar ilicitamente o apoio de outros partidos políticos para formar a base de sustentação do governo federal". Em 136 páginas o Procurador citou nominalmente quarenta membros da quadrilha, mas esqueceu-se de falar no "mensalinho" da bolsa-família, um deslavado programa eleitoreiro, com dinheiro público. Nem Al Capone seria capaz de tamanha baixaria. Surpreendentemente, Lula declarou-se o homem mais ético do País!!! Em outra ousadíssima bravata, recusou-se a comungar, alegando não ter pecados a confessar... Mesmo assim sempre teve, como principais aliados, clérigos católicos, no papel de inocentes úteis.
 
Quarenta mil petistas foram "aparelhados" no governo, a maioria com salários de marajás, com a mais sinistra das intenções. Lula colocou sindicalistas no lugar de técnicos, alforriou os facínoras do MLST, liberou bilhões de reais para os bandidos do MST e também para os terroristas de antanho ("anistiados"), hoje guindados a cargos estratégicos no governo, augurando o momento da "ruptura", quando espera assumir o poder absoluto. Nem precisará fechar o Congresso nem amordaçar a mídia e nem mesmo o Judiciário, pois já estão todos comendo em sua mão. Sempre utilizou a máquina pública com este objetivo. Faltou a Alckmin coragem para denunciar este esquema diabólico.
 
Enquanto aplicou "apenas" dez bilhões de reais para comprar os votos dos inocentes, com um prato de comida, destinou quase DUZENTOS bilhões de reais para os banqueiros, os maiores beneficiários de sua política econômica. Além disso, aumentou a carga tributária, que já era a maior do mundo, para sobrar mais dinheiro para a corrupção e para o marajanato petista, doador de dízimos para o Partido. Com objetivos políticos perdoou dívidas de muitos países e ainda cedeu aos apelos dos piratas chineses, considerando a China como "economia de mercado", prejudicando enormemente os empresários brasileiros, ameaçando liquidar de vez com a indústria têxtil brasileira.
 
Na campanha para o segundo mandato, Lula inundou o País com mais um tsunami de mentiras, atribuindo a seu governo todas as conquistas do País, conseguidas "apesar dele" e não por causa dele. Chegou até a furtar aplausos da ONU dirigidas a Kofi Annan...
 
Alegou que criou mais de sete milhões de empregos, sem reconhecer que foram criados principalmente em São Paulo e Minas, governados pelo PSDB. Com o maior cinismo gabou-se do pífio progresso econômico – em verdade, estagnação econômica, com assustador nível de desemprego - enquanto a verdade é que o País perdeu o bonde da história, pois nunca o cenário econômico mundial esteve tão favorável. Só cresceu mais que o Haiti, que não passa de uma grande favela. A Argentina cresceu quase cinco vezes mais que o Brasil. A educação e a saúde estão em petição de miséria, as estradas abandonadas e esburacadas e a falta de investimentos no controle de tráfego aéreo causou o caos por ocasião do feriado prolongado de finados, porque as verbas para atualização do setor foram desviadas. Por várias vezes Lula tentou amordaçar a opinião pública, controlando a mídia e o audiovisual e até a Polícia Federal foi aliciada para pressionar a imprensa, achacando repórteres da Revista Veja . Bóris Casoy foi defenestrado do noticiário da TV, sob pressão do governo, o grande anunciante. Até o cronista Carlos Chagas, que sempre entoou loas aos comunas, está sendo perseguido. Bem feito! A KGB tupiniquim vem por aí, em passo de ganso...
 
Apesar deste descalabro, Alckmin, mal assessorado em questões de propaganda, limitou-se a prometer os lugares comuns de sempre, nos quais ninguém mais acredita, deixando de usar contra Lula a mais perigosa das armas, a VERDADE, ou seja, a denúncia de que Lula é, acima de tudo, um comunista a serviço de interesses do comunismo internacional que, ao contrário do senso comum, nunca esteve tão vivo e tão ativo, agora com a cumplicidade dos terroristas islâmicos, todos eles inimigos dos países que prezam a liberdade, como os Estados Unidos. A Idade Média, pré-iluminista, bate à nossa porta...
 
Como sentenciou Roberto Campos, com o brilho de sempre: "A verdadeira dicotomia do momento não é mais entre a esquerda e a direita, mas entre o ILUMINISMO e a BARBÁRIE". Lula é a barbárie, como cansou de demonstrar, porém quase sessenta milhões de idiotas o sufragaram nas urnas. Envergonho-me de ser brasileiro.
Huascar T. do Valle

Ensaísta e advogado. Dedica-se a estudos nas áreas da filosofia, história, arqueologia, linguística, semântica geral, psicologia, psicanálise, cosmogonia, cosmologia, etologia e sociobiologia. É colunista do site Mídia sem Máscara. É autor das obras "Hino à Liberdade" e "Tratado de Economia Profana". Entre seu material inédito, constam as obras "Sociedade da Desconfiança", "Trincheiras do Iluminismo", "A Treatise on Profane Religion", "The Twilight of Gods" e "Jesus, from Abraham to Marx".

  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.