Qui04152021

Last updateDom, 01 Set 2013 9am

09 Nov 2006

Só Não Vale Dançar Homem com Homem

Escrito por 
Eleito presidente da República em 2002, Lula chorou ao receber, segundo ele, o primeiro diploma de sua nada mole vida. Não era verdade. Já havia recebido pelo menos dois: do Senai, como torneiro mecânico e, em 1986, como deputado federal.

Eleito presidente da República em 2002, Lula chorou ao receber, segundo ele, o primeiro diploma de sua nada mole vida. Não era verdade. Já havia recebido pelo menos dois: do Senai, como torneiro mecânico e, em 1986, como deputado federal.

Quem chorou mais tarde foi a população decente “desse país” com o mensalão. A Procuradoria-Geral da República denunciou uma quadrilha formada por 40 pessoas. Quadrilha sofisticada, organizada por companheiros do PT, que agia em plano federal a fim de “garantir a continuidade do projeto de poder do Partido dos Trabalhadores mediante a compra de suporte político de outros partidos”.

Veja os crimes de alguns e tente lembrar de alguém preso. José Dirceu: ex-ministro chefe da Casa Civil e ex-deputado federal pelo PT, cassado por envolvimento no mensalão e acusado de ser o chefe da quadrilha. Foi indiciado por corrupção ativa, peculato (desvio de dinheiro público) e formação de quadrilha; José Genoino: ex-presidente do PT é acusado de ser integrante do núcleo da quadrilha e foi indiciado por corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha; Delúbio Soares: “nosso Delúbio”, como fraternalmente o acolheu Lula, é o ex-tesoureiro do PT responsabilizado pelo esquema irregular de financiamento de campanha. Foi indiciado por corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha; Silvio Pereira: ex-secretário-geral do PT é acusado de participar do núcleo da quadrilha e foi indiciado por corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha; Marcos Valério: anda sumido ele, não?! Acusado de operar o mensalão e o caixa 2 do PT foi indiciado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, peculato, evasão de divisas e falsidade ideológica; João Paulo Cunha: reeleito com a força do povo foi acusado de envolvimento no mensalão. Foi absolvido pelo plenário da Câmara. Indiciado por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro; Luiz Gushiken: ex-ministro da Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica é acusado de desviar dinheiro do VISANET em benefício do grupo liderado por Marcos Valério. Foi indiciado por peculato; Paulo Rocha: ex-deputado federal (PT-PA) renunciou para não ser cassado por causa do mensalão e foi indiciado por lavagem de dinheiro; Professor Luizinho: absolvido pelo plenário da Câmara da acusação de mensaleiro foi indiciado por lavagem de dinheiro. Quando o Conselho de Ética da Câmara aprovou o pedido de cassação do “professor”, Lula reprovou na matéria sobre ética: “Lamento, porque o Luizinho é uma figura tão digna, tão decente”; João Magno: deputado federal (PT-MG) absolvido pelo plenário da Câmara de participar do mensalão foi indiciado por lavagem de dinheiro. Apenas uma pergunta: Quem é o chefe da quadrilha que se beneficiou do esquema criminoso?

Sobre Palocci Lula concluiu: “É um monumento de sinceridade, é um monumento de inteligência... muito sincero, muito honesto e muito digno”. Palocci foi denunciado pelo Ministério Público por crimes de formação de quadrilha, falsificação de documento público, peculato e pode ser condenado a 225 anos de prisão. Mas a força do povo o elegeu e poderá ter foro privilegiado. Lula em agosto de 2005, quando Rogério Buratti fez as primeiras acusações contra o monumento: “A verdade vencerá”.

É de chorar a reeleição do presidente que afirmou que sua mãe “nasceu analfabeta”, que “ler é pior que fazer exercício em esteira”, que o Brasil faz fronteira com a Bolívia e que Napoleão invadiu a China. Os eleitores parecem ignorar de que caímos oito pontos no Índice de Percepção de Corrupção. Pior ainda é que estamos em penúltimo lugar entre os países latino-americanos em relação ao crescimento. Perdemos apenas para o Haiti, em guerra civil.
Minas Gerais, 1994, em comício, sobre a má escolha dos candidatos, Lula lamentou: “Às vezes, penso que o povo gosta de ser enganado”.

É triste, mas para 60,83% dos eleitores, na política brasileira, infelizmente, vale tudo! “Só não vale dançar homem com homem, nem, mulher com mulher. O resto vale!”.

Eleito presidente da República em 2002, Lula chorou ao receber, segundo ele, o primeiro diploma de sua nada mole vida. Não era verdade. Já havia recebido pelo menos dois: do Senai, como torneiro mecânico e, em 1986, como deputado federal.

Quem chorou mais tarde foi a população decente “desse país” com o mensalão. A Procuradoria-Geral da República denunciou uma quadrilha formada por 40 pessoas. Quadrilha sofisticada, organizada por companheiros do PT, que agia em plano federal a fim de “garantir a continuidade do projeto de poder do Partido dos Trabalhadores mediante a compra de suporte político de outros partidos”.

Veja os crimes de alguns e tente lembrar de alguém preso. José Dirceu: ex-ministro chefe da Casa Civil e ex-deputado federal pelo PT, cassado por envolvimento no mensalão e acusado de ser o chefe da quadrilha. Foi indiciado por corrupção ativa, peculato (desvio de dinheiro público) e formação de quadrilha; José Genoino: ex-presidente do PT é acusado de ser integrante do núcleo da quadrilha e foi indiciado por corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha; Delúbio Soares: “nosso Delúbio”, como fraternalmente o acolheu Lula, é o ex-tesoureiro do PT responsabilizado pelo esquema irregular de financiamento de campanha. Foi indiciado por corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha; Silvio Pereira: ex-secretário-geral do PT é acusado de participar do núcleo da quadrilha e foi indiciado por corrupção ativa, peculato e formação de quadrilha; Marcos Valério: anda sumido ele, não?! Acusado de operar o mensalão e o caixa 2 do PT foi indiciado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa, peculato, evasão de divisas e falsidade ideológica; João Paulo Cunha: reeleito com a força do povo foi acusado de envolvimento no mensalão. Foi absolvido pelo plenário da Câmara. Indiciado por corrupção passiva, peculato e lavagem de dinheiro; Luiz Gushiken: ex-ministro da Secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica é acusado de desviar dinheiro do VISANET em benefício do grupo liderado por Marcos Valério. Foi indiciado por peculato; Paulo Rocha: ex-deputado federal (PT-PA) renunciou para não ser cassado por causa do mensalão e foi indiciado por lavagem de dinheiro; Professor Luizinho: absolvido pelo plenário da Câmara da acusação de mensaleiro foi indiciado por lavagem de dinheiro. Quando o Conselho de Ética da Câmara aprovou o pedido de cassação do “professor”, Lula reprovou na matéria sobre ética: “Lamento, porque o Luizinho é uma figura tão digna, tão decente”; João Magno: deputado federal (PT-MG) absolvido pelo plenário da Câmara de participar do mensalão foi indiciado por lavagem de dinheiro. Apenas uma pergunta: Quem é o chefe da quadrilha que se beneficiou do esquema criminoso?

Sobre Palocci Lula concluiu: “É um monumento de sinceridade, é um monumento de inteligência... muito sincero, muito honesto e muito digno”. Palocci foi denunciado pelo Ministério Público por crimes de formação de quadrilha, falsificação de documento público, peculato e pode ser condenado a 225 anos de prisão. Mas a força do povo o elegeu e poderá ter foro privilegiado. Lula em agosto de 2005, quando Rogério Buratti fez as primeiras acusações contra o monumento: “A verdade vencerá”.

É de chorar a reeleição do presidente que afirmou que sua mãe “nasceu analfabeta”, que “ler é pior que fazer exercício em esteira”, que o Brasil faz fronteira com a Bolívia e que Napoleão invadiu a China. Os eleitores parecem ignorar de que caímos oito pontos no Índice de Percepção de Corrupção. Pior ainda é que estamos em penúltimo lugar entre os países latino-americanos em relação ao crescimento. Perdemos apenas para o Haiti, em guerra civil.
Minas Gerais, 1994, em comício, sobre a má escolha dos candidatos, Lula lamentou: “Às vezes, penso que o povo gosta de ser enganado”.

É triste, mas para 60,83% dos eleitores, na política brasileira, infelizmente, vale tudo! “Só não vale dançar homem com homem, nem, mulher com mulher. O resto vale!”.

André Plácido

André Arruda Plácido nasceu em Pirajuí (SP) e é cidadão português. Reside em Londrina (PR) onde graduou-se em Relações Públicas e Teologia. Em Bauru (SP) concluiu o curso de Jornalismo. Fez especialização em Comunicação e Liderança em Missões Mundiais pelo Haggai Institute em Cingapura. É professor de comunicação, poeta, radialista, cronista e fotógrafo.

Website.: fotologue.jp/andrearrudaplacido
  • Copyright © 2007. www.rplib.com.br . Todos os direitos reservados.

    Republicação ou redistribuição do conteúdo do site RPLIB é permitido desde que citada a fonte. O site RPLIB não se responsabiliza por opiniões, informações, dados e conceitos emitidos em artigos e colunas assinados e nos textos em que é citada a fonte.